Compiz Fusion on Ubuntu Feisty Fawn - Expo plugin, por MicheleM_ em CC
imagem: MicheleM em CC

Mais que extrair dados de planilhas, o gerente de e-commerce precisa estar antenado com novas informações, metodologias e ações. Vale tudo para trabalhar e compreender os números de maneira mais humana e criativa – é isso que faz a diferença nos números de vendas no ambiente online. Este profissional precisa ser, por natureza, interdisciplinar. E nem todos os pequenos sites de e-commerce têm este cargo. Portanto, caro cliente, empreendedor ou novato, se é você quem decide as ações no seu site, lembre que precisará estar de olhos abertos o tempo todo.

Toda informação importa. Não há diferença de onde venha. O gerente de e-commerce precisa saber coletar dados e explorar informações. E, de posse delas, tomar decisões de forma precisa, de acordo com o planejamento – e longe, muito longe, dos seus gostos ou ego. É este profissional que deve saber como fazer a hierarquia de conteúdo no site, avaliar sua usabilidade e conferir se a experiência do usuário é o que se espera. Tudo isso é decisivo nos resultados das vendas online. Para fazer isso, o gestor do e-commerce que saber usar as ferramentas de análise (não importa qual esteja em uso). Depois de encontrar os problemas (abandono de carrinho sempre é o mais grave) tem que encontrar a solução para eles, reorganizar o fluxo ou então criar novas e melhores oportunidades.

A tendência hoje é nos soterrarmos em informação – em geral abundante e gratuita. Por isso, escolha bem quais são os dados que realmente importam (KPI) e, depois, se houver necessidade, fazer as modificações no processo de navegação de forma sutil e de acordo com a necessidade. O foco sempre será o seu planejamento.

Outra questão muito comum é tratar cada peça de marketing como um conjunto isolado. Lembrem: banner, e-mail marketing, SEO, SEM e redes sociais têm sim, parâmetros próprios e estratégias diferentes. E o objetivo de cada um é o definido no seu planejamento. Vender é sempre o objetivo, mas nem só de ofertas e promoções viverá este gestor. O cliente online é exigente e falhas são mal toleradas.

Sobre os ombros deste gerente fica a responsabilidade pela infra-estrutura tecnológica. Ele precisa saber escolher a melhor ferramenta para o seu negócio, bem como cuidar da segurança e das certificações para as transações do site, além da logística – que tem papel fundamental no e-commerce.

Para completar a lista de funções, cabe ao gerente de e-commerce aumentar o número de visitas e garantir sua qualificação – para aumentar a sua taxa de conversão. Ele deve acompanhar cada detalhe do negócio, da oferta à expedição, bem como do atendimento ao cliente e sua satisfação.

Via Mundo do Marketing