Resumo do texto

  • Conheça as principais características da renda fixa e da renda variável;
  • Descubra quais são os tipos de investimentos que podem ser feitos;
  • Entenda de uma vez por todas as diferenças para fazer a melhor escolha.

Conheça os CDBs PagBank

 

Antes de investir, é importante saber como funcionam as modalidades de investimento em renda fixa e renda variável. Os dois tipos têm seus riscos e vantagens. Enquanto o primeiro é mais seguro e tem um retorno mais estável, o segundo oferece um risco mais alto, porém, com uma rentabilidade superior.

Conheça melhor esses tipos de investimento, entenda as diferenças entre eles e descubra todas as aplicações que nós oferecemos para você.

Invista com praticidade e segurança: conheça os CDBs PagBank.

Renda fixa e renda variável: quais são as principais diferenças?

Antes de entrarmos nas principais características dos investimentos em renda fixa e renda variável, vale a pena conferir esta pequena tabela com as principais diferenças:

RENDA FIXA RENDA VARIÁVEL
Usa um indicador de rendimento? SIM (ex: SELIC e CDI) NÃO (a rentabilidade depende das variações de mercado)
Tipo de risco BAIXO MÉDIO A ALTO
Rentabilidade REGULAR VARIÁVEL (pode ser muito alta ou muito baixa)
Possibilidade de rendimento negativo NÃO SIM
Possui garantia? SIM (concedida pelo FGC ou Governo Federal) NÃO
Exemplos de aplicações CDBs, Poupança, Tesouro Direto, LCIs e LCAs. Ações, Fundos Imobiliários, Fundos de Investimento, ETFs e criptomoedas

Renda fixa ou variável?

Com base na tabela fica mais fácil entender quais são as diferenças e formas de operação desses investimentos. Nunca se esqueça destes dois pontos essenciais:

  1. Renda fixa é uma modalidade de investimento que apresenta uma rentabilidade previsível;
  2. Renda variável não tem nenhum tipo de definição sobre a taxa de retorno, apenas previsões de mercado, ou seja, “varia” com o tempo.

Tenha essas informações bem claras na hora de investir seu dinheiro, já que o futuro das suas economias estará em jogo. Quer segurança e rentabilidade garantida ao longo do tempo? Aplique na renda fixa. Pretende arriscar mais para ter ganhos maiores? Então, diversifique seus investimentos.

O que é renda fixa?

Aplicação de renda fixa é o nome dado aos investimentos que têm uma taxa de retorno definida no momento da contratação. Ao investir nessa modalidade, uma pessoa consegue ter uma previsão real sobre os ganhos, levando em consideração o tempo de aplicação, os índices e taxas de rendimento, valor investido etc. Dessa maneira, na renda fixa não existe rendimento negativo, ou seja, não se perde dinheiro.

Para que isso aconteça, todos os critérios são determinados no momento da contratação, como o tempo mínimo de investimento, carência, vencimento, e até mesmo a taxa de rentabilidade (que é quanto o seu dinheiro vai render).

Existem três categorias de investimentos em renda fixa, chamadas de prefixada, pós-fixada e híbrida. Veja as diferenças abaixo.

Renda fixa pré-fixada

Nesta categoria estão os tipos de investimentos que apresentam uma porcentagem fixa ao longo do tempo de aplicação. Aqui o investidor sabe quanto vai ser o rendimento, já que ele é definido na hora da contratação e as condições não serão alteradas ao longo do período investido.

Vamos supor que você contratou um CDB com rentabilidade de 100% CDI, com liquidez no vencimento, e vencimento de um ano. Sabe o que isso significa? Que você conheceu todas as condições do produto na contratação.

São exemplos de investimentos com renda pré-fixada:

  1. CDBs prefixados;
  2. Letras de Crédito;
  3. Tesouro Direto.

Renda fixa pós-fixada

Na renda fixa pós-fixada, toda a rentabilidade é calculada com base em um indicador ou índice de mercado, como a Selic, CDI, IPCA etc.

  1. Entenda mais sobre a taxa Selic;
  2. Confira tudo sobre CDI.

Os índices sofrem mudanças ao longo do tempo, o que pode fazer com que seu investimento renda mais ou menos. Vamos usar o CDB PagBank de 170% do CDI como exemplo.

Quando você fizer a contratação desse produto, o rendimento será diário, com base no valor do CDI de cada dia. Se a taxa sobe, sua aplicação rende mais, se ela cai, rende um pouco menos do que no dia anterior.

Se você leu o exemplo acima e pensou algo como “então a renda fixa pós-fixada é a mesma coisa que renda variável?” é importante que você entenda que, mesmo com essas variações, você não corre o risco de perder dinheiro — ou melhor, de ver seu investimento passar por uma desvalorização (algo comum na renda variável). A renda fixa pós-fixada é classificada como renda fixa, pois você conhece exatamente os condições na contratação.

Renda fixa híbrida

Os títulos híbridos são aquelas aplicações que juntam os dois tipos de rentabilidade citados acima. Um exemplo de investimento com rentabilidade híbrida é o Tesouro IPCA+. Ele possui uma taxa prefixada e, junto a ela, há um acréscimo da variação acumulada da inflação ao longo do período.

Para quem a renda fixa é indicada?

De modo geral, todo investidor pode aproveitar a renda fixa, já que os investimentos são mais seguros com baixo risco.

Geralmente, são produtos para os investidores de primeira viagem e também para as pessoas que aplicam em renda variável, mas que desejam diversificar sua carteira.

A renda fixa ajuda a compor o portfólio de investimentos de quem opera também com renda variável. É comum que os investidores da bolsa, por exemplo, tenham parte de seus recursos aplicados também na renda fixa para manter essa parcela de sua reserva mais segura.

Se você está pensando em investir, vale a pena conhecer os CDBs PagBank. São várias opções com rentabilidades que variam entre 100 e 170% do CDI para fazer seu dinheiro render até o dobro da poupança. Tudo isso direto pelo super app PagBank e com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito.

O que é renda variável?

Os investimentos de renda variável são aqueles que não apresentam um índice de rentabilidade fixo no momento da contratação. Na renda fixa — tanto prefixada quanto pós-fixada — você sabe qual é o indicador usado no cálculo do rendimento, já na renda variável isso não existe. Costumam ser investimentos de maior risco, nos quais a rentabilidade varia conforme o mercado.

São aplicações de renda variável produtos como:

  1. Ações de empresas;
  2. Fundos de ações;
  3. Fundos imobiliários;
  4. Fundos multimercado;
  5. Moedas estrangeiras.

Todos os exemplos citados acima apresentam riscos maiores, já que a rentabilidade deles sofre influência do mercado financeiro e de fatores que vão desde a política nacional até as decisões tomadas pelos gestores das empresas que vendem ações na bolsa.

O funcionamento da renda variável tem um grande ponto negativo, que é justamente o fato de que você pode perder dinheiro com a desvalorização. Contudo, os ganhos podem ser maiores que a renda fixa, portanto, são investimentos de maior risco.

Isso significa que se você comprar R$ 1000 em ações de uma empresa e ela fechar a cotação da bolsa em alta, seu investimento pode se multiplicar e atingir R$ 1.500. Porém, se essa mesma empresa fechar o dia seguinte com uma queda, o valor da sua aplicação pode cair para R$ 800, por exemplo.

Quem aplica em renda variável?

Geralmente, a renda variável é para as pessoas que têm um perfil de investimento mais arrojado, que estão cientes das chances de perdas, mas não têm medo de encarar esse risco para conseguir mais rentabilidade em menos tempo.

Se você não quer arriscar todo o dinheiro que você reservou para investir, o ideal é apostar na renda fixa. Com ela, seu dinheiro vai ser multiplicado sem chances de desvalorização.

Invista com praticidade e segurança

Quando você abre sua conta com a gente, o primeiro passo no universo das aplicações de renda fixa já é dado. Nossa conta rende 100% do CDI, garantindo uma rentabilidade melhor que a poupança, que é um dos tipos mais antigos e clássicos de investimento.

Se você quer ir mais adiante no mundo dos investimentos e procura um retorno ainda melhor, então, não deixe de acessar a aba Produtos do super app e selecionar a opção Aplicar meu Dinheiro para conhecer todos os CDBs PagBank.

Com eles, você pode:

  1. Investir em uma aplicação que rende 100% a mais que a poupança;
  2. Contar com toda a garantia do FGC;
  3. Gerenciar suas aplicações direto no super app PagBank;
  4. Montar a sua reserva de emergência utilizando o CDB de 100% do CDI e Liquidez Diária.

Conheça todos os CDBs PagBank!

Quem optar pelos CDBs de 120 a 170% do CDI também garante o Cartão de Crédito PagBank, que é grátis, utiliza a bandeira Visa Internacional e permite que você faça compras parceladas e saques no Brasil e no exterior.

Abra sua conta PagBank e comece a aplicar de um jeito prático e seguro, tudo pelo super app.