Resumo do texto

  • Após registrar diversas quedas, a taxa Selic voltou a subir, e isso afeta seus investimentos;
  • Saiba tudo sobre a alta da Selic e quais são os impactos;
  • Descubra quais investimentos se tornam mais vantajosos com a alta da taxa.

Baixe grátis o super app PagBank!

 

O Comitê de Política Monetária (Copom) anunciou um aumento na taxa Selic de 2% para 2,75% ao ano. Esta taxa, que representa os juros básicos da nossa economia, não sofria alta desde 2015.

2020 foi marcado por cinco alterações na Selic, chegando à menor taxa da história, apenas 2% ao ano. Apesar de todas as quedas divulgadas no ano passado, o aumento atual mostra um novo olhar em relação à taxa de juros.

O Boletim Focus, um relatório semanal de analistas do mercado, mostra que a expectativa dos especialistas é que a Selic chegue a 5% até o fim de 2021.

Você sabe por que essa notícia é relevante para você? A Selic impacta diretamente seus investimentos e o seu bolso. Para entender melhor, explicamos tudo nesse artigo.

O que é a Taxa Selic?

A Selic, sigla para Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, é a taxa básica de juros do Brasil. É a partir dela que todas as demais taxas de juros da economia brasileira são calculadas. Isso vai desde juros utilizados em empréstimos e financiamentos até a rentabilidade de aplicações financeiras.

Isso significa que tanto dívidas quanto investimentos apresentam juros maiores ou menores com base em movimentos e expectativas futuras com relação à taxa Selic. É por meio dela que o Banco Central evita a circulação de dinheiro em excesso na economia para controlar a inflação, dentre outros objetivos.

Como a Selic é controlada?

O Comitê de Política Monetária do Banco Central, o Copom, é quem define e quem anuncia as baixas ou altas da meta para a taxa Selic. Essas mudanças têm como principais objetivos melhorar a economia e conseguir conter a inflação.

Os bancos fazem empréstimos entre si, com o objetivo de deixar todas as instituições com o caixa equilibrado no fim de cada dia. É aí que entra a Selic. A meta dessa taxa definida pelo Copom é utilizada para determinar a taxa de juros média para esses empréstimos que acontecem entre os bancos.

Como a alta da Selic impacta os investimentos?

A Selic afeta a poupança da seguinte forma: os investimentos na caderneta realizados após 04/05/12 sempre irão render TR + 70% da Selic, enquanto a taxa estiver abaixo ou igual a 8,5% ao ano. Como não há projeções para a Selic ser superior a essa porcentagem, o investimento continuará rendendo 70% da taxa Selic. Então, com esse nível de juros, a Taxa Referencial (TR) definida pelo Banco Central continua igual a 0.

Em relação a investimentos de renda fixa que remuneram em percentual do CDI, a influência dos impactos da Selic é direta.

Já em relação à renda variável, como ações, não há relação direta com a taxa , pois a rentabilidade muda conforme o desempenho e expectativas com relação às empresas no mercado financeiro.

Quais são os principais objetivos do Banco Central para aumentar ou baixar a Selic?

Quando o Banco Central aumenta a Selic, a rentabilidade dos investimentos que têm como referência essa taxa aumenta.

Isso tende a incentivar a população a investir ao invés de consumir e a reduzir pedidos de empréstimos, que passam a ter taxas maiores. Assim, as pessoas consomem menos e, consequentemente, os preços baixam.

Na maioria dos casos de aumento da Selic, o objetivo do Banco Central é tentar desacelerar a inflação.

Por que ao longo desses 6 anos o Banco Central baixou a taxa Selic?

Normalmente, o objetivo da Selic baixa é incentivar o consumo. Desta forma, os seis anos consecutivos de queda na taxa aconteceram pois a inflação estava controlada.

Com juros baixos, a tendência é que a população gaste mais dinheiro em vez de guardar e investir. Com a Selic baixa também fica mais fácil as pessoas conseguirem crédito e realizarem financiamentos com taxas menores.

Então, de maneira geral a Selic baixa pode incentivar a economia.

Por que a alta da Selic é excelente para investimentos em renda fixa?

Quando a Selic sobe, a rentabilidade de investimentos em renda fixa que utilizam ela como referência também sobe.

Os CDBs, que são investimentos atrelados ao CDI, que acompanha bem de perto a porcentagem da Selic, também são exemplos de bons retornos aos investidores. Quando essa taxa sobe, a rentabilidade dos CDBs sofrem impactos positivos.

Meu dinheiro pode render mais que a Selic?

A boa notícia é: sim! Você pode fazer o seu dinheiro render mais que a taxa Selic fazendo aplicações em investimentos seguros. Um exemplo disso são CDBs PagBank, que rendem uma porcentagem mais alta do que a  Selic. Veja a tabela abaixo:

Você encontra formas simples de conseguir rentabilidades bem melhores do que as oferecidas pela poupança, que rendem só 70% da Selic (enquanto a taxa não ultrapassar 8,5% ao ano).

Qualquer um dos CDBs apresentados acima oferecem rentabilidade maior do que a Selic, o que significa que você tem opções para fazer seu dinheiro render mais de maneira simples com o super app PagBank.

Quero rentabilidade superior à Selic, por onde começo?

Se você ficou interessado em investir seu dinheiro e ter boa rentabilidade, então você precisa saber que os CDBs PagBank são as opções mais práticas e seguras, especialmente para quem está começando a fazer seus primeiros investimentos.

Você pode começar aplicando em nosso CDB que rende 200% do CDI. Ele oferece mais que o dobro da rentabilidade da poupança e tem aplicação mínima de R$ 1.

Você ainda conta com garantia adicional do FGC (Fundo Garantidor de Créditos) e possibilidade de resgate diário com rendimento. Não perca tempo e aproveite essa oferta disponível por tempo limitado! Clique aqui e saiba mais!

Conheça também todos CDBs PagBank disponíveis no super app e comece agora a investir sem complicação e com rendimentos de até o dobro da poupança. Basta baixar o super app PagBank e fazer sua conta grátis.

Baixe o super app PagBank!

“Este canal tem como única intenção fornecer um panorama sobre as diferentes categorias de produtos de investimentos disponíveis no mercado. Os conteúdos não têm o objetivo de oferecer análise de valores mobiliários ou recomendações de investimento, considerando que os produtos apresentados podem não ser adequados aos objetivos, situação financeira ou necessidades individuais de cada usuário. O PagSeguro PagBank se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que decorram da utilização de seu conteúdo, bem como por eventuais informações fornecidas por terceiros, que não expressam a opinião do PagSeguro PagBank. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e as informações podem não estar atualizadas no momento exato da consulta do material. Antes de tomar qualquer decisão, é recomendado que o leitor busque orientação financeira independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto.”