Você acredita que ser um investidor é coisa de quem tem muito dinheiro sobrando? Se a sua resposta foi sim, então, é melhor esquecer essa ideia agora mesmo. E este post vai te ajudar com essa desconstrução.

Para muita gente, fazer uma aplicação significa — de um jeito errado — colocar um monte de dinheiro em ações e ficar torcendo a favor dos resultados do mercado financeiro para não perder dinheiro.

É claro que existe essa opção. Contudo, aplicar seu dinheiro pode ser seguro, nem um pouco trabalhoso e sem essa emoção toda. Uma aplicação, como dizem os especialistas, é fazer com que o seu dinheiro trabalhe por você, e isso não está diretamente ligado a correr riscos na bolsa.

Existem muitas opções simples para você começar a sua caminhada rumo a um futuro com reservas financeiras. Contudo, o primeiro passo não está na aplicação do dinheiro, mas sim, na mudança de alguns hábitos.

No post de hoje, vamos apresentar algumas atitudes que ajudam a te transformar em uma pessoa que sabe fazer seu dinheiro render — ou melhor, vão dar uma mãozinha para você sair do perfil de gastador para se transformar em um investidor.

Preparado? Confira as dicas:

Pare de usar seu dinheiro sem controle

Não teríamos como começar essa lista sem ser com essa dica. Controlar o seu dinheiro é essencial para qualquer pessoa que pretende organizar suas finanças, seja para aplicar, comprar um imóvel ou para se preparar para o futuro, deixando uma boa reserva para quando chegar o momento de descansar e curtir a vida.

Para ter mais domínio sobre suas entradas e saídas, só tem uma maneira: registrar tudo que chega e todos os seus gastos. Isso pode ser chato, um pouco trabalhoso, além tomar um tempo da sua rotina, porém, é uma prática realmente indispensável para organizar sua vida financeira.

Ao registrar seus ganhos e gastos, será possível descobrir como você está gastando, quando gasta mais, em qual momento do mês sua conta está mais “gordinha” e quais são as oportunidades simples que você tem em mãos para guardar dinheiro.

Economizar é o primeiro passo para fazer aplicações financeiras. Portanto, saiba que essa tarefa fica muito mais simples quando existe um controle preciso sobre a movimentação financeira do seu mês.

 

Use a tecnologia para ajudar a sua administração financeira

A segunda dica é complementar da primeira e vai servir para deixá-la ainda mais simples e rápida.

Para que fazer seu controle financeiro em um livro-caixa, caderninho ou algo do tipo se você pode usar duas máquina potentes e presentes na sua casa, que são o celular e o computador?

Vale muito a pena usar alguma solução para facilitar os seus cálculos de quanto investir e também para monitorar seus gastos, a união entre o conhecimento sobre seus gastos (que você consegue ao seguir a primeira dica) e a tecnologia é tudo o que você precisa para ter mais inteligência na hora de gastar e de poupar.

Para facilitar a organização nas nossas vidas, existem vários apps de gestão financeira (que você pode achar na loja de aplicativos do seu celular) ou então soluções mais simples, como as planilhas de controle.

E quando o assunto é praticidade, a gente dá uma forcinha. Você pode baixar agora mesmo uma planilha para controle dos seus gastos pessoais neste link aqui.

E, se quiser saber um pouquinho mais sobre as formas de controlar os seus gastos de uma maneira positiva, fácil e sem grandes sofrimentos, confira essas cinco dicas fundamentais neste link aqui!

Recebeu, pagou!

Sabe aquela história de deixar um boleto lá para o final do mês ou aguentar um mês sem pagar a luz para quitar duas contas na conta seguinte? Se você faz esse tipo de coisa, saiba que não está errando sozinho.

Muitos brasileiros adotam essa prática de deixar as contas para o final do mês ou pra depois e acaba gastando com outras prioridades que nem sempre são tão prioridades assim (como comprar roupas novas, pedir comida de um restaurante mais caro ou coisa do tipo).

Ok, em alguns momentos será preciso esperar alguns dias até cair seu salário ou o pagamento de mais alguns clientes, isso é compreensível. A questão que precisa ser discutida é o hábito de quitar suas contas assim que elas chegam, assim, você evita gastos sem controle algum durante o mês.

Se você quer organizar sua vida financeira, nossa terceira dica é: assim que receber – seja o seu salário, quando cair o vale, após fechar um bom dia de vendas ou quando receber sobre um serviço prestado – pague seus boletos!

Percebeu que nossas dicas funcionam em sequência? Primeiro, você analisa seus gastos, em seguida, já usa a tecnologia para monitorar e controlar todos eles. Feito isso, você começa a usar seu dinheiro de forma mais esperta, pagando suas contas e analisando bem o quanto sobra.

Isso é a famosa educação financeira entrando em ação pouco a pouco! Pagar seus débitos logo que eles chegam é o melhor jeito de deixar o restante da sua conta “sem compromissos”.

Seguindo essas dicas, você vai conseguir analisar muito melhor os seus gastos e conseguirá ficar de olho no que sobra de dinheiro, assim nenhuma conta fica de fora do seu orçamento. Feito isso, você já pode dar andamento para nossa lista de dicas e aplicar a quarta sugestão.

Retenha na fonte

Sabe essa expressão do título? Ela é muito usada para descrever impostos e valores que uma pessoa paga na sua folha salarial, ou seja, são os descontos mensais que ocorrem antes mesmo da pessoa receber o salário.

Se você é empreendedor ou um profissional autônomo, saiba que também dá para reter parte dos seus ganhos assim que os recebe, tudo com a finalidade de aplicar.

Com base nas nossas primeiras três dicas, você vai ter controle total sobre quanto pode separar mês a mês para fazer um investimento. E tirar esse dinheiro de circulação logo que ele entra se apresenta como a melhor saída para frear aquele impulso de consumo e contribuir para seus  planos de aplicação.

 

Quer guardar dinheiro logo que recebe? Então, fique de olho nessa dica

Já ouviu algum especialista em economia falando na televisão sobre endividamento? A principal dica deles é nunca comprometer mais que 30% do seu orçamento com nenhum tipo de dívida. A gente sabe que essa dica do pessoal da economia é mais fácil no papel do que na vida real, não é mesmo? Vamos tentar seguir a lógica das porcentagens aqui, mas não para falar de dívidas, e sim de formas de poupar.

O ideal para conseguir controlar as suas finanças e ainda sobrar um dinheiro para se divertir é adotar a seguinte proporção:

  • 70% dos seus gastos para custo de vida (aluguel, alimentação, educação etc);
  • 10% direcionado para atividades de lazer e consumo;
  • 20% separados para fazer aplicações.

Essa distribuição da sua renda em três pilares é essencial para que seja possível fugir das dívidas, se preparar para o futuro com os investimento e, claro, se divertir!

Saiba usar o cartão a seu favor

Sem dúvidas, o seu cartão pode ser um grande parceiro da sua administração financeira. Por isso o PagBank oferece cartão internacional e sem anuidade para os clientes. E seu cartão é o tipo de ajuda que precisa ser usado com inteligência.

O cartão de crédito é muito útil para ajudar quando você precisa de dinheiro, mas não tem tudo em mãos naquele instante ou quer parcelar o valor total. O grande problema é perder o controle sobre o número de parcelas das compras, o valor já utilizado no limite e quanto será cobrado na sua fatura.

Como cartões de crédito são uma espécie de “empréstimo pré-aprovado”, eles possuem juros mais altos, isso significa que ficar em débito no cartão vai fazer com que você pague a mais do que usou, e, se você não administrar bem seu cartão, essa dívida se torna uma bola de neve.

Aproveite a dica da planilha e não esqueça de registrar todas as compras parceladas. Também vale acompanhar a fatura do seu cartão com frequência para ficar de olho no limite e no quanto você vai precisar pagar.

E como isso se relaciona com hábitos para se transformar em alguém que sabe aplicar seu dnheiro? Simples, com menos uso do crédito e com menores chances de endividamento com cartão, suas finanças se tornam mais controláveis.

A partir do momento em que você domina seus gastos, aplicar se torna uma possibilidade mais simples e que não vai tirar da sua conta dinheiro que você precisa usar para pagar os custos do seu mês.

 

Estou enrolado com meu cartão, quero pagar e começar a investir, e agora?

Calma, você pode se livrar das dívidas do seu cartão de crédito de um jeito simples e que gera uma economia. Para isso, basta “trocar” de débitos.

Preste atenção nessa dica que ela é bem importante: se você quer dar fim aos juros do cartão de crédito, vale muito a pena recorrer a um empréstimo pessoal. Eles possuem juros bem mais baixos e bons prazos para pagamento.

O PagSeguro PagBank tem empréstimos com os menores juros do mercado e ótimas opções de parcelamento para você. Vale a pena trocar o débito do cartão (ou de outra dívida com juros altos) pelas prestações de um empréstimo pessoal. Essa é uma forma simples de dar fim aos altos juros e controlar suas finanças.

E por onde você pode começar suas aplicações?

Se você está afim de mudar seus hábitos para se transformar em um investidor, isso significa que sua missão agora é descobrir para onde direcionar suas economias. E como dito lá no começo do post, aplicar seu dinheiro não significa correr riscos.

Ao fazer uma aplicação financeira, você tem dois caminhos bem distintos, a renda fixa e a renda variável. Existem diversas formas de investimento de renda variável, alguns exemplos são as ações de empresa e a compra de moeda estrangeira. Dia após dia, esses investimentos perdem ou ganham valor, de acordo com as mudanças do mercado financeiro.

Já os investimentos de renda fixa você consegue saber exatamente as condições do rendimento no momento em que faz a aplicação, ou seja, você consegue prever quanto o seu dinheiro vai render. Alguns exemplos de aplicações de renda fixa são as poupanças, a conta rendeira PagBank (que rende 10% acima do rendimento da poupança) e os CDBs, como o CDB PagBank (que rende até 30% acima da poupança).

CDB PagBank uma opção segura para um futuro seguro

CDB é a sigla de Certificado de Depósito Bancário. Trata-se de uma aplicação de renda fixa segura e protegida pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Na prática, isso significa que você terá uma proteção extra de até R$250 mil por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$1 milhão para cada período de quatro anos. Se você está dentro desta faixa, seu dinheiro está mais do que seguro!

O PagBank oferece o CDB como forma de aplicação para seus clientes. Com R$500,00 você faz a sua primeira aplicação e escolhe quando pode retirar. As opções de resgate são após 60 dias, 90 dias, 6 meses ou 1 ano.

Quanto mais tempo seu dinheiro ficar aplicado, mais ele rende, por isso, vale a dica: não use a aplicação no CDB PagBank como uma reserva de emergência. O mais interessante é deixar o dinheiro “paradinho” e ir aplicando gradativamente para obter rendimentos ainda mais altos.

Preparado para fazer seu dinheiro render?

Suas finanças vão agradecer se você seguir as nossas dicas. Fazer aplicações é algo que pode ser feito por qualquer pessoa preocupada com o futuro e que quer atingir seus sonhos, seja ele uma tranquilidade após a aposentadoria, a compra de um imóvel ou a viagem dos sonhos.

Poupar e aplicar são atitudes inteligentes, porém, para conseguir sucesso, além de mudar alguns hábitos, não se esqueça que será preciso:

  • Ter disciplina com seus hábitos e manter as novas atitudes em prática;
  • Ser mais organizado e criar controle sobre suas finanças;
  • Escolher boas opções de investimento.

Por isso, pode apostar que o CDB PagBank é uma boa para você começar. A dificuldade para aplicar é zero, basta usar a aba Minhas aplicações do super app PagBank, selecionar o valor, o tempo mínimo de rendimento e pronto!

Quer saber ainda mais sobre o CDB PagBank, como ele funciona e quais são as suas principais características? Então, confira este post que tem todas as explicações que você precisa para fazer uma aplicação agora mesmo!