Resumo do texto

  • Comprar com segurança e sem surpresas negativas é o objetivo de todos os clientes neste final de ano;
  • Confira as dicas do Procon para fazer compras com segurança nas lojas virtuais;
  • Veja também quais são os cuidados ao comprar nas lojas físicas.

Baixe grátis o super app PagBank

 

O final de ano é uma época com muita movimentação no comércio, tanto nas lojas físicas quanto nas virtuais. A Black Friday dá início à correria das vendas de final de ano, e os clientes ficam muito atentos para comprar os produtos que desejam com preços mais interessantes.

O problema é que nem todas as lojas realmente oferecem algo bom para o cliente. É bastante comum encontrar depoimentos de consumidores que foram enganados ou que tiveram dores de cabeça na hora de comprar.

Para evitar prejuízos para os consumidores, existe o Procon, o órgão responsável por proteger os clientes e aplicar punições aos negócios que não respeitam os direitos do consumidor.

Além de aplicar multas e corrigir a atuação dessas lojas, o Procon vive dando dicas para as pessoas comprarem com segurança, especialmente no Natal e na Black Friday, quando surgem muitas ofertas na praça, incluindo aquelas que não passam de tentativas de golpe.

Quer saber como se proteger e comprar com segurança? Acompanhe as dicas mais importantes do Procon!

Dicas do Procon para comprar com segurança

Veja agora quais são as principais dicas dadas pelo Procon para os clientes que querem comprar com segurança e organização neste final de ano. Tome nota e se prepare para encarar as compras de final de ano da melhor maneira possível.

Vamos dividir as orientações em 2 grupos: dicas para comprar online e dicas para comprar nas lojas físicas. Acompanhe!

Dicas para comprar online com segurança

Primeiro vamos começar com as dicas focadas no e-commerce. Veja o que fazer para evitar problemas.

1. Desconfie de promoções muito vantajosas

Um telefone celular que custa R$ 3 mil nunca vai custar R$ 1 mil em uma promoção. E sabe por que isso não acontece? Porque todo produto tem um custo e toda venda precisa de uma margem de lucro.

Um celular vendido a R$ 3 mil custa, no mínimo, uns R$ 2,5 mil para o lojista, e quando ele é oferecido a um preço tão baixo, pode apostar que é golpe. Afinal, por que o dono da loja venderia tão barato a ponto de ter prejuízo?

Cada produto tem o seu valor e se o preço divulgado por uma loja online estiver muito baixo, é bem provável que seja uma promoção falsa. Fique atento e pesquise preços em concorrentes e naqueles sites que funcionam como comparadores de preço para conferir qual é a média de preços do mercado.

2. Busque informações sobre a loja na internet

A reputação da loja online é muito importante para o consumidor. Empresas que têm muitas reclamações devem ser descartadas como opção dos clientes que não querem nenhuma surpresa desagradável neste final de ano.

Mas, como saber se uma loja é boa ou ruim? Aqui vai uma pequena lista para você buscar mais informações:

  1. Reclame Aqui, um portal que reúne as principais reclamações de clientes sobre lojas virtuais e físicas;
  2. Perfis das redes sociais da loja. Veja os principais comentários nas postagens e fique de olho nas avaliações dadas pelas pessoas;
  3. Google Meu Negócio, onde também existem avaliações de clientes;
  4. Site do Procon. Lá é possível conferir uma lista de lojas que devem ser evitadas pelos consumidores.

Mas aqui fica a nossa dica: algumas empresas apresentam reclamações, e isso é normal na rotina de trabalho de qualquer comércio. Fique atento às respostas, veja se o lojista responde às reclamações e resolve os problemas dos clientes.

Nem sempre se trata de uma loja virtual querendo aplicar um golpe, mas sim de um empreendedor que ainda está enfrentando alguns desafios no seu trabalho, mas quer trabalhar de forma honesta.

3. Compre em sites com certificado de segurança

Sabe aquele cadeado que aparece na frente do endereço da loja no seu navegador? Aquilo é um ícone que informa que o site é seguro.

Sites que têm os chamados protocolos e certificados de segurança online garantem a segurança dos seus dados (especialmente os dados do seu cartão ou de sua conta bancária) e conseguem evitar que essas informações sensíveis sejam captadas.

Fique atento a esse cadeado e verifique o rodapé do site para conferir quais são os certificados de segurança que são aplicados na loja virtual. Se não encontrar o cadeado ou nenhum certificado de segurança, a recomendação do Procon é não seguir com a compra e procurar uma loja com mais segurança.

4. Preste atenção às formas de pagamento

Algumas ofertas contém pegadinhas, como desconto somente no pagamento à vista ou quando você paga usando um determinado cartão de crédito. É comum acontecer o seguinte caso: o cliente vê o preço vantajoso, não percebe que o desconto tem limitações e, sem querer, faz a compra sem descontos.

Se for o caso, vai ser mais difícil resolver seu problema, por isso, preste muita atenção e leia atentamente as regras de qualquer promoção.

5. Recebeu uma oferta muito boa? Não entre pelo link!

Alguns golpistas conseguem criar sites falsos iguaizinhos aos sites oficiais de grandes lojas e marcas. Eles criam essa simulação e o cliente nem percebe que está comprando em um site malicioso que vai pegar seus dados, seu dinheiro e não vai entregar o produto.

Quando você encontrar uma oferta daquelas imperdíveis (ou se encontrar uma oferta vantajosa demais a ponto de gerar desconfiança), não compre pelo link.

Dicas para comprar com segurança nas lojas físicas

Lojas físicas garantem um pouco mais de tranquilidade para o cliente, já que ele pode ver os produtos e consegue ter contato com os funcionários do negócio, mas, mesmo assim, é preciso tomar alguns cuidados. Veja quais são eles:

1. Preste atenção na qualidade dos produtos

Nem sempre o que está na vitrine é o item que você vai receber. Preste bastante atenção ao produto para verificar se ele não sofreu danos no estoque, se está em perfeito estado e se ele realmente é aquilo que você escolheu.

Ainda há mais um detalhe que você precisa prestar atenção: falsificações. Fique atento ao produto, tente olhar o mesmo item em duas lojas para conseguir uma comparação de qualidade. E lembre-se: se o preço estiver muito longe da realidade, há grandes chances do produto ser uma réplica falsificada.

2. Confira a política de trocas e devolução

Essa dica também vale para as lojas online: sempre saiba quais são as regras para troca e devolução dos produtos. Saber as regras para trocar e devolver produtos é essencial para você comprar com segurança e evitar prejuízos.

Algumas lojas fazem promoções com preços bem baixos, mas limitam trocas e devoluções. Essas promoções não podem ser aplicadas para qualquer produto e são acompanhadas de perto pelo Procon. Lojas podem até fazer uma promoção dessas para uma cesta de chocolates, mas nunca para um aparelho eletrônico, por exemplo.

Confira bem as regras antes mesmo de pagar. E se perceber que as condições não são favoráveis para você e podem causar um problema, é melhor procurar outra loja ou acionar o Procon.

3. Sempre peça a Nota Fiscal

A Nota Fiscal de um produto é um documento indispensável para poder fazer trocas e até para acionar o Procon. A nota é um registro que informa que você comprou o produto A pelo preço X na loja B, ou seja, é um documento que confirma o negócio entre cliente e loja.

Esse documento de compra e venda é o que garante a você o direito de fazer a troca de um produto e até pedir o retorno do dinheiro em casos mais graves. Sem a nota, não é possível confirmar que aquele produto foi comprado naquela loja, e isso pode dificultar você a cobrar seus direitos como consumidor.

Guarde a nota e saiba que o comprovante de cartão de crédito/débito não é Nota Fiscal. Se o lojista disser que você pode usar o comprovante do cartão, desconfie.

Pode ser que ele realmente seja um vendedor bem tranquilo que confia nos seus clientes e permite que eles usem esse simples comprovante para fazer trocas.

4. Fique atento ao prazo para reclamações

O Procon tem um prazo máximo para registro de reclamações, que é de 30 dias para produtos não duráveis (ex: perfumes, alimentos, bebidas etc) e de 90 dias para produtos duráveis (eletrodomésticos, eletrônicos etc). Se você demorar muito para registrar uma reclamação, ela não poderá ser resolvida pelo Procon.

5. Atenção com os vale-presentes

Para não ter problemas com vale-presentes, peça para que conste na Nota Fiscal do vale as seguintes informações:

  1. Quais são as regras de restituição (caso a pessoa use o vale-presente para comprar algo com preço menor do que o constante no vale);
  2. Qual o prazo de uso;
  3. Em quais lojas o vale pode ser usado.

Vale lembrar que o vale-presente é um crédito que o cliente tem naquela loja, sendo assim, o lojista não pode proibir que ele seja usado em determinados produtos. É dever da loja permitir que o cliente use o vale-presente para qualquer produto, inclusive como forma de abater parte do valor de um item mais caro.

Conte conosco nas suas compras de final de ano

Nós queremos estar junto com você nas suas compras de final de ano e isso é possível de diferentes formas:

  1. Usando os nossos cartões internacionais;
  2. Quando você compra usando as maquininhas PagSeguro;
  3. Fazendo compras com o QR Code PagBank e o QR Code Pix.

Mas esses não são os únicos meios que a gente encontrou para facilitar as suas compras de final de ano. Além de facilitar o seu pagamento, nós também te ajudamos a controlar melhor suas finanças.

Nós fazemos isso ao oferecer para você uma conta que rende mais que a poupança, com os cartões e QR Codes que facilitam os pagamentos e também com o Shopping PagBank, onde você compra nas melhores lojas com cashback!

Baixe grátis o super app PagBank agora mesmo