Resumo do texto

  • Existem 5 tipos de riscos envolvendo aplicações financeiras: crédito, mercado, liquidez, reinvestimento e operacional.
  • Para investir com segurança e tranquilidade, é preciso conhecer as características de cada um deles.
  • Descubra mais sobre riscos financeiros e tire todas as suas dúvidas.

Baixe já o super app PagBank!

 

Você quer investir seu dinheiro mas tem medo das perdas? Descubra quais são os principais riscos envolvidos nos investimentos, sejam eles de renda fixa ou de renda variável.

Acompanhe e aproveite para tirar suas dúvidas e perder o medo dos investimentos que são seguros, como os CDBs do PagBank, que você precisa conhecer.

Quais são os riscos de aplicações financeiras?

Antes de mais nada, riscos são definidos como as chances de não obter o retorno esperado quando é feito um investimento. Essa é uma definição mais ampla, porém, o mercado os analisa de 5 modos diferentes:

Tipo de risco Definição Investimentos com o risco Investimentos sem o risco
Risco de crédito Quando o investidor não recebe o valor da aplicação porque o emissor não tem recursos para pagar. CDBs, LCIs, LCAs, debêntures, fundos de investimentos, fundos imobiliários e criptomoedas. Ações, títulos públicos, poupança e imóveis.
Risco de mercado Variações no valor de um ativo por causa das mudanças do mercado financeiro. Debêntures, fundos de investimentos, ações, títulos públicos, fundos imobiliários, criptomoedas e imóveis. CDBs*, LCIs, LCAs e poupança.
Risco de liquidez Quando você tenta liquidar (vender rápido e facilmente) um investimento, mas não consegue encontrar meios para isso. LCIs, LCAs, debêntures, fundos de investimentos, ações, fundos imobiliários, criptomoedas e imóveis CDBs**, títulos públicos e poupança.
Risco de reinvestimento Quando você resgata uma aplicação e, com o dinheiro obtido com ela, não consegue investir em outro produto que seja melhor ou tão vantajoso quanto. Debêntures, ações, títulos públicos, fundos imobiliários, criptomoedas e imóveis. CDBs, LCIs, LCAs, fundos de investimento e poupança.
Risco operacional Quando ocorrem erros de execução e formalização nas suas operações de investimentos. LCIs, LCAs, debêntures, fundos de investimentos, ações, fundos imobiliários e criptomoedas. CDBs, títulos públicos, poupança e imóveis.

 

Agora que você já conhece um pouco mais sobre os principais tipos de riscos financeiros, vamos abordar mais detalhadamente cada um deles.

Risco de crédito

O risco de crédito envolve a situação na qual o investidor não recebe o valor da aplicação de volta porque o emissor do título (neste caso o banco ou empresa de investimentos) não tem dinheiro para fazer o pagamento.

Todo investimento em renda fixa possui risco de crédito. Títulos públicos, como Tesouro Direto, possuem o menor risco de crédito, pois você estará emprestando dinheiro para o próprio Governo Federal.

Aplicações com cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), como CDBs, LCIs/LCAs, são aplicações com baixo risco. Entre as opções de maior risco, temos os debêntures, que dependem da saúde financeira da empresa que pede o empréstimo, e sem a cobertura do FGC.

Existem alguns métodos de classificação do risco de crédito sobre os investimentos em renda fixa. Um dos mais conhecidos é o Índice de Basileia, que ranqueia as instituições financeiras de acordo com sua capacidade de pagamento.

Esse índice avalia quanto um banco tem em caixa versus o quanto ele deve para os investidores. Quanto maior a reserva do banco, melhor sua nota no Índice. Isso significa que quanto maior a nota, mais confiável será o banco.

Como evitar?

Aplique seu dinheiro em instituições que possuem uma boa nota no Índice de Basileia. Para conferir, acesse este link. Na seção “selecione o relatório desejado”, você deve escolher:

  • A data-base mais recente;
  • Tipo de instituição: Conglomerados Prudenciais e Instituições Independentes;
  • Relatório a selecionar: Resumo
  • Você vai encontrar o PagBank como BancoSeguro!

Outra dica valiosa é investir em instituições associadas ao Fundo Garantidor de Crédito, como o PagBank. Confira aqui a relação de associados ao FGC.

Risco de mercado

O risco de mercado leva em consideração as variações de preços dos investimentos (ativos). As ações de uma empresa, por exemplo, têm uma capacidade de sofrer com essas variações (volatilidade) bem alta, por isso, o risco é maior. Já uma aplicação de renda fixa, como um CDB, não fica sujeita às variações do mercado, por isso, o risco de mercado é bem menor.

Esse risco existe pois o mercado financeiro é cheio de altos e baixos, e muitas coisas podem impactar o valor dos investimentos e seus índices de rentabilidade. Quer um exemplo prático?

Vamos lá: imagine que uma empresa de viagens possui ações na bolsa, e do nada ocorre uma pandemia. O que acontece? As pessoas vão parar de comprar passagens e estadias em hotéis, portanto, as ações das empresas envolvidas no turismo provavelmente irão cair.

Neste mesmo cenário, as pessoas precisarão de remédios e cuidados. Como consequência, a procura por esses produtos irá aumentar e as ações das empresas que fabricam esses itens vão subir automaticamente.

Por essa razão, os grandes investidores sempre ficam de olho nas notícias sobre economia para decidir onde investir e como evitar os grandes riscos do mercado.

Como evitar?

O mercado financeiro é inconstante e muito pouco previsível. O único modo de evitar riscos de mercado é acompanhando as notícias sobre investimentos, ficar de olho nas cotações da bolsa e buscar informações sobre a empresa que você pretende investir.

Outra maneira simples de evitar riscos de mercado é investindo em renda fixa ou produtos que você tenha mais confiança. Aplicar todo o seu dinheiro em renda variável pode ser bastante arriscado. Vale ponderar o investimento em algum produto de renda fixa para ter, pelo menos, parte de seu dinheiro aplicado com rentabilidade garantida.

Risco de liquidez

O risco de liquidez é quando você quer resgatar seus investimentos, mas não consegue encontrar interessados. Neste tipo de situação pode surgir uma proposta abaixo do valor que você gostaria de receber, porém, para não ficar sem nada, você aceita e perde dinheiro.

Esse tipo de risco acontece muito em imóveis. Quando uma pessoa precisa vender um imóvel com urgência, a falta de compradores interessados no momento pode forçá-la a se contentar com preço de venda menor.

Como evitar?

Em relação aos imóveis, a melhor forma de evitar o risco de liquidez é analisando o mercado imobiliário e tomando a decisão de investir em locais que estão se valorizando.

Em produtos como ações, é necessário compreender o interesse do mercado financeiro.

Ações de companhias grandes, mesmo quando estão em baixa, podem ter alta liquidez enquanto ações valorizadas de companhias pequenas podem ser menos interessantes. Somente acompanhando o mercado e suas cotações será possível entender o que tem alta ou baixa liquidez.

Risco de reinvestimento

O risco de reinvestimento acontece quando você faz o resgate de um investimento e, no momento de aplicar novamente esse dinheiro, não encontra condições tão favoráveis quanto as presentes na primeira vez que você investiu.

Isso acontece muito por força do cenário econômico, que muda com certa constância. Imagine que você investiu em um título com vencimento em 2 anos. No momento do resgate desse investimento, a inflação pode ser muito maior do que no dia que você aplicou, assim, a quantia que você tem em mãos é insuficiente para ser investida em uma aplicação melhor ou igual à primeira.

No caso desse tipo de risco, não há meios de evitar, já que ele está relacionado com fatores que não dependem do investidor, como a economia do país e a inflação.

Como evitar?

Se você quer evitar risco de reinvestimento, é importante que você evite investimentos em que os rendimentos caiam na sua conta (o chamado crédito antecipado), ou seja, investimentos que pagam muitos dividendos, pagam cupons de títulos públicos, debêntures etc.

Risco operacional

No risco operacional temos os erros na execução da compra dos investimentos. Também podem ser classificadas as falhas ocorridas no decorrer do investimento e provenientes de problemas de uma companhia, e até mesmo fala humana.

Digamos que um você investiu em um CDB que estava com uma taxa super atrativa, mas disponível somente naquele dia. No dia seguinte, constatou que a operação não foi realizada por algum erro, falha ou problema e você perdeu a taxa atrativa.

Como evitar?

A melhor maneira de evitar o risco operacional é optar por empresas que possuam uma estrutura pensada em diversos riscos e tenham sistemas automatizados seguros e rígidos para minimizar o risco humano. Por exemplo, quando você aplica em um CDB PagBank, essa aplicação acontece de maneira automática, direto pelo super app, sem a necessidade de um atendente realizar a operação para você

Diversifique sempre. E escolha opções alinhadas com seu perfil!

Nossa última dica é simples: arriscar com investimentos é algo que vai depender do seu perfil, daquilo que te traz conforto e segurança para investir.

Mesmo quem é mais arrojado e não teme os riscos da renda variável deve pensar em variedade de investimentos. Variar é uma oportunidade de reduzir as chances de perda e potencializar os ganhos.

Aplicar tudo em um único produto pode trazer um grande impacto negativo para sua reserva financeira, caso haja desvalorização. Aplique com foco no seu perfil, mas sempre tendo parte do dinheiro investido em aplicações de alta segurança.

Chegou a hora de conhecer mais sobre os CDBs PagBank.

Uma das principais buscas dos investidores iniciantes é por produtos que reúnem:

  1. Garantia do FGC;
  2. Praticidade para investir;
  3. É oferecido por uma instituição de confiança;
  4. Entrega bons rendimentos.

Se o seu objetivo é investir em produtos seguros e simplificados, então, você precisa conhecer os CDBs PagBank. São várias opções de aplicação,criados para contemplar os diferentes perfis de investidor. Com apenas R$500 você pode começar a aplicar e conseguir rendimentos melhores do que uma poupança tradicional.

O PagBank tem CDBs que vão de 100% até 150% do CDI, ou seja, você pode ter uma rentabilidade até 68% maior do que em qualquer poupança.

Além disso, os CDBs a partir de 103% do CDI disponibilizam o Cartão de Crédito PagBank, que é da bandeira Visa Internacional, não possui anuidades e nem tarifas. Com ele você também faz saques, pagamentos parcelados e compras no Brasil e no exterior.

Clique aqui e descubra tudo sobre os CDBs PagBank!

E sabe qual é o melhor de tudo? Os CDBs PagBank estão todos disponíveis no super app. Você controla sua conta e todos os seus investimentos direto pelo seu celular, sem complicações e com muita segurança.

Baixe já o super app PagBank investir hoje mesmo!

 

(*)CDBs não têm risco de mercado pois os bancos dão liquidez. Mas não é possível garantir que o banco terá sempre liquidez, portanto, o risco de mercado dos CDBs é muito baixo.

(**) O risco de liquidez de um CDB emitido por um banco de primeira linha é muito baixo.