A taxa Selic subiu e seu dinheiro pode render mais, entenda os efeitos da mudança

Resumo do texto

  • A taxa Selic subiu novamente e gera impactos para o seu bolso;
  • Entenda qual é o objetivo do Banco Central com essa mudança;
  • Saiba como aproveitar esse momento para investir e proteger seu dinheiro.

 

O Banco Central divulgou mais uma alteração na Selic, a taxa básica de juros utilizada na economia. A taxa Selic subiu para 3,5% ao ano, o mais alto percentual desde maio de 2020.

Essa mudança tem reflexo direto no bolso. Os juros aplicados em empréstimos e financiamentos ficam mais caros, contudo, os investimentos atrelados ao CDI, como os CDBs e Tesouro Direto. 

Separamos informações importantes para você ficar por dentro de todas as consequências da alta da Selic. Aproveite para descobrir como você pode usar essa mudança a seu favor! 

Como a Selic impacta minha vida?

É com base na Selic que surgem todas as outras taxas de juros usadas no Brasil, desde as aplicadas em empréstimos até a rentabilidade de produtos de renda fixa. 

Mudanças na Selic trazem diversos efeitos, tanto positivos como negativos. 

O que fica mais caro?

  1. empréstimos pessoais;
  2. financiamentos;
  3. compras parceladas com aplicação de juros (ex: juros aplicados nas parcelas de um carro novo).

Resumindo: tudo que tem acréscimo de juros ficará mais caro. 

O que fica mais vantajoso?

Investimentos de renda fixa que usam a taxa Selic como base de cálculo para o rendimento, como os CDBs e Tesouro Direto. 

Qual o objetivo da mudança no valor da taxa?

A alta da Selic de 2,75% para 3,5% tem um objetivo simples: frear o consumo. Com juros mais altos, as pessoas passam a consumir menos. Como consequência, a inflação tende a cair. Inflação alta impacta tudo o que você consome, portanto, o aumento na Selic é uma estratégia do Banco Central para reduzir o aumento generalizado de preços. 

Se você quer saber tudo sobre a Selic, como ela é calculada, quem faz esse cálculo e quando esses ajustes são feitos, entenda mais sobre a selic!

Como aproveitar a alta da Selic?

A resposta é: investindo seu dinheiro em produtos que usam a Selic como base para calcular o rendimento. O exemplo mais fácil para entender essa lógica é um CDB. 

Esse raciocínio pode ser explicado em quatro etapas:

  1. um CDB é um empréstimo. O investidor aplica, e a instituição usa aquele dinheiro em suas operações;
  2. a aplicação conta com uma taxa de juros, que é calculada com base no CDI;
  3. o valor do CDI, por sua vez, é baseado na taxa Selic;
  4. se a Selic subiu, o CDI acompanha, logo, os juros desse empréstimo que você fez ao banco também sobem e você ganha mais.

E aqui fica uma dica final: a tendência é que a taxa Selic sofra novos aumentos, então, não deixe de aplicar para aproveitar os benefícios dessas mudanças.

Use alta da Selic a seu favor: conheça os CDBs PagBank!

Agora é o momento para tirar do papel seu plano de se tornar um investidor. Com a alta da Selic, você tem mais chances de obter um bom rendimento, e você nem precisa sair em busca de boas oportunidades. Elas já estão a poucos cliques de você, no seu celular.

Aproveite que o super app PagBank oferece opções simples e comece a investir hoje nos CDBs, aproveitando os novos valores da Selic. Abrir sua conta é rápido, grátis e sem burocracia!

Abra uma conta grátis e comece a investir hoje mesmo!

“Este canal tem como única intenção fornecer um panorama sobre as diferentes categorias de produtos de investimentos disponíveis no mercado. Os conteúdos não têm o objetivo de oferecer análise de valores mobiliários ou recomendações de investimento, considerando que os produtos apresentados podem não ser adequados aos objetivos, situação financeira ou necessidades individuais de cada usuário. O PagSeguro PagBank se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que decorram da utilização de seu conteúdo, bem como por eventuais informações fornecidas por terceiros, que não expressam a opinião do PagSeguro PagBank. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e as informações podem não estar atualizadas no momento exato da consulta do material. Antes de tomar qualquer decisão, é recomendado que o leitor busque orientação financeira independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto.”