Resumo do texto

  • Fluxo de caixa é algo fundamental para o seu negócio, tanto agora quanto no futuro;
  • Ele é essencial para analisar as entradas e saídas de dinheiro, o que ajuda muito no gerenciamento do seu negócio como um todo;
  • Mas uma coisa é fato: fluxo de caixa nem sempre é fácil de fazer e administrar
  • Quer algumas orientações para simplificar essa tarefa? Nossa equipe separou 7 dicas infalíveis. Confira!

 

Um dos maiores medos de qualquer dono de negócio é perder o controle sobre as finanças. Ver seu trabalho se transformar em uma gigantesca bola de neve feita de dívidas, pagamentos atrasados e erros de caixa é um verdadeiro pesadelo, e que pode se tornar realidade se não houver controle.

Felizmente, você pode se preparar antes que essa bagunça toda aconteça. Para isso, é preciso ter duas palavrinhas na ponta da língua: controle financeiro e gestão do fluxo de caixa.

Separamos 7 dicas muito práticas, fáceis de aplicar no dia a dia, e que vão trazer umas mudanças bem legais para o jeito que você cuida do seu dinheiro.

O que é fluxo de caixa?

Para quem não conhece, o fluxo de caixa é uma espécie de indicador, um termômetro das entradas e saídas de dinheiro no seu negócio. Ele funciona com base no registro de toda a grana que sai e que entra na sua empresa, e aqui estamos falando de tudo mesmo, desde as pequenas despesas do dia a dia até as grandes movimentações, como pagar aluguel e fornecedores.

É com base nas informações do fluxo de caixa que se faz projeções de vendas, análise de datas com mais faturamento, verifica se uma promoção valeu a pena e muito mais.

O fluxo de caixa também consegue apresentar muito bem aquilo que os especialistas em administração chamam de momento financeiro da empresa. Ou seja, ele serve de alerta para que você tome as melhores decisões para impulsionar as vendas e conquistar resultados melhores. 

Outro ponto importante sobre o fluxo de caixa é a transparência. Os números apresentam toda a realidade da empresa, por isso, ele é um tipo de análise essencial em empresas abertas em sociedade, servindo para esclarecer para todo mundo como andam as contas do negócio.

Como melhorar o gerenciamento do fluxo de caixa em sete passos

Agora, vamos apresentar algumas dicas bem práticas que você deve adotar em seu negócio agora mesmo para trazer mais controle para o fluxo de caixa.

1. Defina qual é o objetivo do seu trabalho

Você está trabalhando na administração do seu negócio, certo? Logo, você precisa ter um objetivo para dar um norte para as suas atividades. Então, vale a pena criar alguns objetivos que você quer conquistar, tais como:

  1. Reduzir a perda de vendas;
  2. Aumentar em X% ou em X reais o faturamento da empresa;
  3. Diminuir os custos com o estoque;
  4. Desenvolver ações para atrair o público e conseguir dobrar o faturamento.

Seja qual for o seu objetivo principal, o importante é que ele esteja bem claro em toda a sua rotina. A partir disso é que você vai analisar que tipo de atitude precisa ser tomada e como isso vai impactar as finanças da empresa.

Conforme você tem bem claro o que deve ser feito, entra em cena as mudanças, e o fluxo de caixa será essencial para você acompanhar os efeitos do seu trabalho.

2. Separe as contas para melhorar o controle

Algo indispensável para quem quer simplificar a gestão do fluxo de caixa é a separação de contas. Misturar as suas finanças com a grana do seu negócio é um convite para a perda de controle, por isso a separação é indicada por 11 em cada 10 especialistas em gestão financeira.

Contas separadas facilitam a análise das receitas e despesas, permitem que você tenha mais transparência na gestão do dinheiro do seu negócio, além de facilitar muito a contabilidade, seja para fazer o fluxo de caixa ou na hora de declarar imposto de renda (seu e da empresa, caso você já tenha feito a emissão do CNPJ).

E para ajudar no controle dos seus gastos, você pode contar com o Cartão da Conta PagBank. Com ele, você faz compras e pagamentos usando somente o saldo presente na conta. Ou seja, ele é perfeito para controlar os seus gastos pessoais e também para as despesas do seu negócio, desde uma simples compra de materiais de limpeza até para gerenciar todas as suas vendas.

Que tal trazer mudanças positivas para o gerenciamento da grana do seu negócio?

Abra uma conta grátis no PagBank!

3. Saiba quanto é o orçamento da empresa

Todo negócio tem um orçamento, ou seja, o dinheiro que está disponível para fazer as operações. Um bom controle do fluxo de caixa pede um orçamento bem definido para cada uma das principais atividades do seu negócio.

Você precisa ter uma previsão de quanto vai gastar com reposição de estoque, com pagamento de funcionários, despesas de estrutura (aluguel, água, luz, gás etc) e as demais despesas indispensáveis para conseguir formar um bom orçamento.

Feito este orçamento, mantenha ele sempre no seu radar, já que ele vai servir como um indicador de qual foi o teto de gastos que você planejou para cada uma das demandas.

4. Determine o período de análise

Lembra que falamos que o fluxo de caixa analisa as informações financeiras dentro de um determinado período de tempo? É fundamental escolher qual vai ser o período usado para montar o próximo fluxo de caixa.

A escolha do intervalo de tempo vai depender da sua estratégia, porém, o ideal é que esse período tenha, no mínimo um mês e, no máximo, um ano. Pensando de forma prática, fazer a análise uma única vez no ano é algo que pode ser muito pouco preciso, por isso, o comum é que as empresas façam análises bimestrais ou trimestrais.

5. Tenha disciplina com os registros

Para que sua análise fique perfeita, não se esqueça que é preciso ter muita disciplina com os registros de informações. Nada pode ser esquecido, e nada é pouco importante para não ser contabilizado.

Empresas grandes e de sucesso não deixam um centavo de fora de suas análises, e você precisa fazer exatamente igual. Porém, será preciso ter esse comprometimento de nunca deixar de fazer os registros de movimentações financeiras que servem para montar o fluxo de caixa.

E se você quiser um jeito prático de documentar algumas despesas, vale a pena usar o Cartão Pré-Pago PagBank. Com ele, você pode carregar um valor a ser usado, e quando o saldo acabar, não há risco de extrapolar os gastos.

Ele cai muito bem para aquelas tarefinhas do cotidiano, como ir ao mercado para comprar produtos de limpeza, café e outras coisas para o estabelecimento, e também serve para frear os gastos de quem consome muito na hora de repor estoque.

Um bom exemplo são as lojas de roupas. Muitos donos desse tipo de negócio fazem suas compras em grandes centros comerciais e, no calor das compras, acabam exagerando nas peças e comprometendo o orçamento.

Com um Cartão Pré-Pago PagBank você acaba com esses deslizes, facilita o controle do dinheiro e ainda troca o uso de dinheiro em espécie por um cartão, o que é muito mais prático e seguro.

Clique e veja como é fácil pedir o seu!

Para fechar, aqui vai uma dica: acesse e baixe a nossa planilha de controle financeiro. Ela foi feita para auxiliar nessa missão dos registros e vai te ajudar muito a não perder o controle das informações.

6. Cuide bem do seu estoque e das reposições

No tópico acima você teve a oportunidade ler um exemplo clássico de descontrole na gestão do estoque. O estoque do seu negócio é uma área muito sensível. Produtos faltando significam vendas perdidas, produtos sobrando significam dinheiro parado e falta de estratégia.

Para equilibrar essa balança, o ideal é fazer um controle muito completo, analisando fatores como:

  1. Quais são as mercadorias mais vendidas;
  2. Que tipo de item está encalhado no estoque;
  3. Qual produto precisa ser colocado em destaque para reduzir a quantidade no estoque;
  4. Qual é o volume de vendas de uma mercadoria durante um determinado período.

Todos esses dados irão reduzir desperdícios com o estoque, além de evitar o constrangimento de não ter um certo produto para oferecer ao seu cliente. Fique atento à gestão do estoque até mesmo para facilitar as suas negociações com fornecedores.

7. Use e abuse da tecnologia

Frases como “onde eu anotei as vendas de ontem?” ou “alguém sabe onde está o livro caixa?” são comuns na sua vida? Então, está na hora de mudar um pouco as coisas. Deixe o papel e a caneta de lado e aposte na tecnologia como braço direito para fazer esse controle do fluxo de caixa.

Felizmente, hoje é possível ter acesso à ferramentas poderosas para gerenciamento dentro do seu celular, o que é muito prático para quem pretende melhorar o controle financeiro.

Pense bem: não seria muito bom ter um assistente que não esquece de anotar nada, controla todas as informações financeiras e não perde nenhum detalhe do dia a dia? Conseguir uma pessoa assim pode ser difícil, mas uma ferramenta digital que faz tudo isso está a poucos cliques de você.

O PagVendas surgiu para ser esse funcionário do mês dentro do seu celular. Ele é um sistema completo para você administrar vários pontos importantes do seu negócio, desde os contatos dos clientes até o volume de vendas e a emissão de relatórios de resultados. Aproveite para ficar de olho em todos os resultados e acompanhar esses números crescendo em tempo real!

Se a missão é simplificar a gestão financeira, vale a pena conhecer o PagVendas, ainda mais se você já utiliza maquininhas do PagSeguro e outras das nossas ferramentas, como o Link de Pagamento e o QR Code.

Por fim, não tem mais motivo para você bater cabeça na hora de controlar as finanças da sua empresa. O PagBank oferece um mix de ferramentas completos para a sua rotina profissional, veja só:

  1. Use a conta rendeira para criar uma conta para você e outra para a sua empresa;
  2. Cadastre-se no PagVendas e descubra um novo jeito de gerenciar seu negócio por completo;
  3. Use o Cartão da Conta e o Cartão Pré-Pago PagBank para dar mais controle às suas compras
  4. Dê mais opções para os seus clientes usando o Link de Pagamento e o QR Code;

Ah, e aproveite que as maquininhas do PagSeguro se integram com o PagVendas e escolha já a sua! Além de passar cartões de crédito e débito, é possível até vender com VR e Vale Alimentação.