Resumo do texto

  • As regras de liquidez variam de acordo com o tipo de investimento;
  • Entender essas regras é entender o resgate das aplicações;
  • Aprenda como funciona o resgate e descubra as vantagens da liquidez diária.

Baixe grátis o super app PagBank!

 

Você quer investir seu dinheiro hoje e conseguir um bom retorno até o final da semana que vem? Se esse é o seu plano, saiba que isso não é assim tão simples. O mercado não funciona dessa maneira, e se você não tiver consciência disso, seu planejamento pode ir por água abaixo.

O retorno financeiro varia muito de acordo com as regras, a liquidez, o tipo de aplicação e os prazos de resgate. Se você não conhece direito onde você está colocando o seu dinheiro, como vai saber se fez uma escolha capaz de te dar retorno?

Essa relação entre tempo e dinheiro no seu bolso é algo que merece a sua atenção, por isso, hoje você vai aprender mais sobre esse assunto. Confira!

Como funcionam os resgates de investimentos?

Cada aplicação tem suas regras de resgate, que impactam no retorno. Alguns produtos travam o seu dinheiro durante meses enquanto outros permitem que o valor volte para o seu bolso em menos tempo. Veja a seguir as regras para produtos de renda fixa e variável.

Resgate de investimentos em renda fixa

Produtos de renda fixa costumam trabalhar com 3 tipos de resgate:

  1. resgate em até 24h após a aplicação;
  2. resgate após o fim da carência;
  3. resgate no vencimento.

O primeiro grupo junta investimentos que têm liquidez diária (você vai entender mais sobre esse assunto daqui a pouco). Nesses casos, seu dinheiro retorna para a conta em pouquíssimo tempo, mas mesmo assim você pode conseguir algum retorno, que será proporcional ao tempo de investimento. Quem resgata após a carência também pode conseguir retorno. E ele também será proporcional ao tempo.

Mas aqui fica um alerta: resgatar antes do prazo pode causar a rentabilidade negativa, que acontece devido ao que os especialistas chamam de marcação a mercado.

A marcação é uma atualização no preço dos títulos de renda fixa, como Tesouro Selic e também os CDBs. Ela informa qual é o preço daquela aplicação, caso você fosse vendê-la no dia de hoje.

Como a marcação varia para cima ou para baixo, caso você resgate antes do prazo e a marcação derrube o valor, surge a rentabilidade negativa.

Confira um exemplo de como os prazos mudam a rentabilidade

Imagine que você aplicou no CDB 1 que rende a 120% do CDI e tem carência de 180 dias e no CDB 2, que tem o mesmo rendimento, mas carência de 90 dias. 

Agora, imagine que você resolveu resgatar os dois no dia em que a carência acabou. Qual você acha que vai te dar mais retorno? A resposta é o CDB 1, afinal, seu dinheiro passou mais tempo recebendo a famosa incidência de juros, logo, seu retorno será maior.

Mas a melhor forma de obter retorno na renda fixa é esperar até o vencimento, que é a data máxima de aplicação. Assim você garante que o dinheiro contou com incidência de juros durante o maior tempo possível, então, o retorno será melhor!

Investe em fundos de renda fixa? Fique atento aos prazos

Fundos de investimento em renda fixa podem ter suas próprias regras de resgate definidas no momento da aplicação. Alguns deles adotam regras do tipo d+30, o que significa que o dinheiro pode demorar 30 dias úteis para retornar para a conta do investidor. Mas isso não é um padrão. Alguns fundos podem usar regras como d+45.

Cuidado com os impostos!

Investimentos como os CDBs são taxados pela Receita Federal com Imposto de Renda e IOF. O IOF só é pago caso o resgate seja feito em menos de 30 dias. Se você não conseguir manter a aplicação por um mês, este tributo vai diminuir seu retorno.

Já o IR é cobrado de qualquer forma, o que muda é a porcentagem que você paga ao Leão. Quanto mais tempo você mantém seu dinheiro investido, menor é a alíquota de Imposto de Renda, ou seja, mais tempo investido significa mais retorno.

Resgate de investimentos em renda variável

O retorno sobre investimentos em renda variável não costuma apresentar nenhuma regra de rentabilidade. Em relação às ações, a liquidez pode variar. Uma empresa que está em alta no mercado financeiro tem mais pessoas interessadas em comprar ações do que uma empresa que não está despontando na bolsa.

Mas aqui ficam dois pontos de atenção:

  1.  a liquidação da operação, ou seja, o prazo para o dinheiro voltar para a conta do investidor segue a regra d+2. Isso significa que os valores só ficam disponíveis dois dias úteis após a liquidação;
  2. liquidez alta não é garantia de retorno. Você pode comprar R$ 1200 em ações da empresa A e vender no fim do dia (liquidez alta) por R$ 900, caso ela se desvalorize;
  3. vendendo uma ação hoje, você pode usar o saldo dessa venda para investir em outro produto listado na bolsa antes mesmo da liquidação ser feita.

Para os fundos, a lógica é bem parecida. Eles permitem o resgate a qualquer momento e fazem o pagamento em poucos dias após o pedido, porém, o valor das cotas pode variar e, com isso, o investidor pode pode ficar sem retorno.

Detalhes importantes sobre o resgate de investimentos

Existem alguns conceitos muito importantes sobre investimentos, sejam eles CDBs, títulos públicos ou fundos. É ideal ter em mente esses atributos que influenciam diretamente as aplicações.

Prazo de cotização  Prazo de liquidação Prazo de resgate
Tempo para transformar o dinheiro do investidor em cotas ou transformar cotas em dinheiro, em caso de resgate Tempo para o dinheiro chegar até o investidor, a partir do pedido de resgate. Tempo gasto desde o pedido de resgate até o dinheiro cair na conta do investidor.

Como a liquidez pode alterar o retorno de um investimento?

Se o assunto é resgate, não dá para deixar de lado a liquidez. Ela mede o tempo que um investimento demora para retornar para a sua mão, ou melhor, para sua conta.

Quando falamos em alta liquidez, falamos de situações onde é possível resgatar o dinheiro na hora ou em poucos dias. Já as aplicações de baixa liquidez são aquelas que têm prazos mais longos para resgate.

Ela também se relaciona com o interesse de outros investidores naquilo que você tem a oferecer. Digamos que você investiu em ações de uma empresa que está em alta na bolsa.

A procura será alta, logo, você conseguirá vender com rapidez e transformar em dinheiro no bolso em menos tempo, porém, se essa ação se desvalorizar, pode ser difícil encontrar interessados, e ela se torna o chamado ativo de baixa liquidez.

Esse tipo de comportamento acontece com alguns produtos de renda variável, mas também pode acontecer até mesmo em imóveis.

Como funciona a Liquidez Diária?

No caso de investimentos com liquidez diária, o pedido de resgate é cumprido no mesmo dia ou em até 24h após a solicitação.

Investimentos como esses são ideais para dar rendimento à uma reserva financeira. Então, em vez de deixar seu dinheiro parado em uma conta corrente sem nenhum rendimento, você pode enviar para uma aplicação com boa rentabilidade e liquidez diária, como é o caso do CDB 200% do CDI do PagBank. 

Além de resgatar a qualquer momento, ele rende mais que o dobro da poupança e conta com uma dupla garantia: a nossa e a proteção do FGC. Clique aqui e saiba mais.

E aqui fica uma dica final: se você acha importante ter seu dinheiro em mãos rapidamente, confira as opções de alta liquidez, mas não esqueça de diversificar para aumentar o seu retorno.

Uma carteira diversificada pode gerar mais rentabilidade com menos risco a longo prazo. Mas não esqueça de aplicar em investimentos que estejam de acordo com seu perfil de investidor.

Quer ter a oportunidade de diversificar seus investimentos? Tem novidade no super app para você!

Com os Fundos de Investimento disponíveis no super app você tem a oportunidade de fazer aplicações a partir de R$ 500 em diferentes modalidades. Veja nossas opções de Fundos:

  1. Renda Fixa;
  2. Multimercado;
  3. Cambial;
  4. Ouro;
  5. Ações;
  6. Criptomoedas.

Todas as opções são gerenciadas por equipes especializadas, que focam seus esforços na escolha estratégica dos investimentos. Fundos são alternativas para diversificar os investimentos, uma prática recomendada pelos maiores especialistas do mercado financeiro.

Clique aqui e saiba tudo sobre os Fundos de Investimento disponíveis no super app.

Facilidade, opções que cabem no seu bolso e zero burocracia

Aqui fica uma dica para as mães e todas as mulheres que desejam investir sem complicar a rotina: baixe hoje mesmo o super app e explore todas as opções que colocamos à sua disposição!

Investir com o PagBank é simples e permite que você dê um bom rendimento à reserva que você está montando para o futuro dos seus filhos ou para seus objetivos pessoais!

E lembre-se que investir exige aquele sentimento de coração de mãe: sempre cabe mais um. Isso porque, quanto mais você diversifica, menores são os riscos, e as chances de rendimento aumentam.

Para aplicar com o super app basta seguir alguns passos:

  1. No Menu Principal, acesse a opção Produtos e Investimentos;
  2. Clique em Aplicar meu Dinheiro;
  3. Confira as opções de CDB ou Fundos de Investimento;
  4. Faça sua escolha e clique em Investir.

Pronto! O valor será transferido do seu saldo para a opção escolhida, e você acompanha a aplicação pelo celular.

Conheça os CDBs e Fundos de investimento disponíveis no PagBank!

“Este canal tem como única intenção fornecer um panorama sobre as diferentes categorias de produtos de investimentos disponíveis no mercado. Os conteúdos não têm o objetivo de oferecer análise de valores mobiliários ou recomendações de investimento, considerando que os produtos apresentados podem não ser adequados aos objetivos, situação financeira ou necessidades individuais de cada usuário. O PagSeguro PagBank se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que decorram da utilização de seu conteúdo, bem como por eventuais informações fornecidas por terceiros, que não expressam a opinião do PagSeguro PagBank. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e as informações podem não estar atualizadas no momento exato da consulta do material. Antes de tomar qualquer decisão, é recomendado que o leitor busque orientação financeira independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto.”