Resumo do texto

  • Conhecer o seu perfil de investidor é essencial para escolher as melhores opções de aplicações financeiras disponíveis;
  • Seu perfil depende de fatores como os riscos, seus objetivos e o tempo que você pretende investir;
  • Conheça mais sobre os perfis ultra conservador, conservador, moderado e experiente e entenda quais são as aplicações mais recomendadas para cada perfil.

Conheça os CDBs PagBank

 

Quem está começando a aplicar seu dinheiro agora ou deseja dar os primeiros passos no mundo dos investimentos com certeza já fez a seguinte pergunta: que tipo de investimento é melhor para mim?

Pessoas que estão investindo por conta própria podem ficar confusas em relação aos produtos oferecidos pelo mercado, suas rentabilidades e regras. Isso pode gerar uma escolha errada, que acaba tirando todo o ânimo do investidor iniciante. Para evitar essa situação, é muito importante conhecer os tipos de aplicação disponíveis e o que elas oferecem.

Afinal, não existem investimentos certos ou errados. As aplicações mais interessantes para você dependem de algo que os especialistas chamam de perfil de investidor.

Essa característica se relaciona com seus objetivos de vida, a forma como você pretende usar seu dinheiro e sua predisposição aos riscos do mercado financeiro. A soma desses três fatores permite que você entenda um pouco mais qual é a sua postura em relação aos investimentos e o que eles podem oferecer.

O que é perfil de investidor?

O perfil de investidor é como se fosse uma análise da sua personalidade diante do mercado financeiro. Esse diagnóstico aborda algumas informações que são bem estratégicas para definir quais são os investimentos mais recomendados para você.

Esse processo — também conhecido como suitability — nada mais é do que um pequeno teste que vai avaliar fatores como:

  1. Sua tolerância em relação aos riscos do mercado financeiro;
  2. Os objetivos que você tem com seus investimentos;
  3. Sua idade e situação financeira;
  4. Seu nível de conhecimento sobre o mercado financeiro.

A ideia é analisar sua postura diante do mercado. Dessa forma, é possível definir quais aplicações são aconselhadas para o seu caso — o que é muito importante para colher bons resultados.

Essa recomendação vai levar em conta (além do seu perfil, é claro) três características básicas dos investimentos:

  1. Risco;
  2. Liquidez;
  3. Rentabilidade (fator que calcula o lucro de um investidor com uma aplicação).

Por que eu preciso definir meu perfil?

Mundialmente, é obrigatório que o investidor tenha seu perfil traçado antes de aplicar. Aqui no Brasil, a regra é a mesma, conforme decreto da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) — com exceção de produtos como poupança e CDB. Ou seja, para aplicar em todos os outros tipos de investimento, você necessariamente deverá conhecer o seu perfil.

Vamos a um exemplo prático: imagine que você tem uma pequena reserva financeira e resolve investir essa quantia. Seu objetivo é aumentar um pouco esse dinheiro para fazer uma viagem daqui a um ano.

Tudo o que você deseja é garantir que esse dinheiro guardado se multiplique um pouquinho até a data em que você vai comprar passagens e reservar hotel, certo? Agora suponha que, para aumentar essa sua reserva, você decide colocar tudo em ações na Bolsa de Valores.

O investimento dá bons resultados na primeira semana e você até já atingiu o quanto desejava, mas, animado com o crescimento, resolveu não mexer no dinheiro e seguir com as ações. Meses depois, a empresa anuncia um corte de funcionários e queda no faturamento bimestral.

Resultado: as ações despencam e faltando menos de uma semana para fazer a compra das passagens, você percebe que tem menos dinheiro do que aplicou.

Pronto. Sua viagem foi por água abaixo, e tudo aconteceu porque você tinha um objetivo que não estava alinhado com o tipo de investimento escolhido. A melhor opção para assegurar a rentabilidade neste caso seria uma aplicação de renda fixa, como um CDB, o Tesouro Direto, LCI e LCA.

Tudo isso poderia ser evitado com uma análise do perfil de investimento com base nas suas metas. É justamente para evitar grandes perdas que esse teste existe, portanto, saiba que entender o seu perfil é uma atitude consciente de quem quer reduzir as perdas e encontrar as melhores oportunidades!

Como definir o seu perfil de investidor?

Determinar o perfil de investidor não é algo complicado. Geralmente, ele é definido com base em informações sobre a aceitação de riscos, tempo esperado para ter retorno sobre as aplicações e o nível de rentabilidade desejada.

Riscos

O que você precisa levar em consideração aqui é a aceitação dos riscos do mercado. Lembra do exemplo do viajante? É muito provável que ele não estivesse disposto a arriscar seu dinheiro guardado, contudo, sem saber direito os riscos e nem seu perfil, acabou escolhendo a opção menos segura.

Os riscos têm relação direta com o tipo de investimento. Nunca se esqueça que aplicações de renda variável sempre carregam consigo mais riscos do que os investimentos em renda fixa, por exemplo. Dentro das rendas fixa e variável existem diferentes níveis de risco, por isso, antes de realizar qualquer aplicação, sempre busque informações sobre os riscos que ela oferece.

Para você entender bem quais são os riscos do mercado financeiro e como eles afetam os investimentos, sugerimos a leitura deste post aqui.

Liquidez

Outro fator importante para definir seu perfil de investidor é a facilidade de transformar o seu investimento em dinheiro + lucro. Esse conceito é chamado de liquidez.

Por isso, investimentos em renda variável como ações, criptomoedas e ouro, por exemplo, têm um alto risco de liquidez, uma vez que não é possível garantir que você poderá resgatar o dinheiro com lucro no futuro. Já produtos como CDBs, por exemplo, têm uma garantia maior de liquidez, uma vez que, após o tempo mínimo de aplicação (carência) e prazo de resgate depois de solicitado (cotização), o dinheiro + ganhos retornarão para a sua conta.

É muito importante saber quando você vai reaver o dinheiro e quanto tempo você tem disponível para investir. Geralmente, isso depende dos seus objetivos, portanto, a escolha tem que ser certeira.

No caso do nosso exemplo, o viajante tinha um ano para aplicar e necessariamente ter lucro, portanto, não seria interessante para ele fazer um investimento que durasse mais ou que apresentasse risco de prejuízo.

Rentabilidade

Um investidor não deve avaliar apenas risco e liquidez. Na hora de escolher os investimentos, é preciso analisar também a rentabilidade de cada aplicação.

Novamente voltando ao nosso exemplo: o viajante buscava necessariamente aumentar sua reserva em um ano, certo? Aplicações de renda variável, portanto, estão de fora, uma vez que não é possível determinar que haverá lucro ao final do período desejado.

Já as aplicações de renda fixa têm sua rentabilidade atrelada a um indicador. No caso dos CDBs PagBank, por exemplo, o rendimento é guiado através de uma porcentagem do CDI, que pode chegar até 175% (ou seja, mais que o dobro da poupança).

Quais são os perfis de investidor?

Agora, vamos apresentar quais são os quatro principais perfis de investidor existentes no mercado.

1. Ultra conservador

O investidor ultra conservador não gosta de correr riscos e quer segurança acima de tudo. Ele não se importa em ter uma rentabilidade menor, desde que suas aplicações sejam as mais seguras possíveis.

Geralmente, o ultra conservador já tem um plano definido — como comprar uma casa ou fazer melhorias no seu negócio — e esse objetivo faz com que ele tome muito cuidado para não perder dinheiro.

Pense no ultra conservador como aquele motorista que prefere o caminho mais longo, porém, mais seguro e tranquilo.

2. Conservador

São considerados investidores conservadores aqueles que querem ganhar um pouco mais no médio prazo e, para isso, aceitam pequenas oscilações no caminho.

Geralmente, o perfil conservador prefere aplicações com menor rentabilidade e liquidez, já que o retorno é de médio a longo prazo. A razão desse investidor em aceitar menores rentabilidades é justamente a segurança e o menor índice de risco.

Ao mesmo tempo, esse perfil não tem medo de arriscar uma parte do seu dinheiro para conseguir encurtar o caminho até seu objetivo. Ele é como o motorista que também gosta da estrada longa e segura, mas aposta em um atalho de vez em quando.

3. Moderado

O investidor moderado aceita com facilidade os riscos do mercado e as variações dele sobre os seus investimentos, inclusive aceitando as perdas enquanto mira seus objetivos mais adiante.

Esse perfil acredita que os desafios do caminho valem a pena, já que já que ele procura um retorno bom, porém, com um prazo mais longo.

Mesmo sabendo e aceitando os riscos, esse investidor também diversifica suas aplicações para não deixar tudo sob risco — algo que é importante para juntar dinheiro e reinvestir em produtos com maior rentabilidade.

O investidor moderado é como o motorista que prefere percorrer o caminho mais rápido, mesmo sabendo que ele pode encontrar um obstáculo que o faça demorar um pouco mais do que o previsto para chegar ao seu destino.

4. Experiente

Esse é o investidor que não tem medo de nada. Aplica nos produtos com maior rentabilidade mesmo quando eles oferecem risco, afinal, seu objetivo é juntar a maior remuneração em menos tempo.

Um investidor experiente precisa ser muito inteligente e conhecer bem o mercado, caso contrário, apenas coloca seu dinheiro em risco sem conseguir um bom retorno. Esse investidor é o famoso apressadinho das estradas: anda sempre no limite de velocidade, seja em uma rodovia ou estrada de terra.

Ser experiente no mercado não é um erro, contudo, é algo que nem todo mundo está disposto (mesmo quando a rentabilidade é atraente), por isso, é preciso pensar muito bem antes de definir se esse é realmente o seu perfil.

Os perfis mudam?

Sim, nenhum investidor é obrigado a adotar sempre a mesma postura. A definição do perfil vai depender do seu momento de vida, dos seus objetivos e do fator de segurança. Conforme você faz suas aplicações e passa a entender mais o mercado, nada te impede de trocar uma postura conservadora por uma moderada ou até mesmo experiente.

Os questionários de Análise de Perfil do Investidor (API) disponíveis no mercado têm, geralmente, um prazo de vigência de 2 anos e você pode refazê-los sempre que houver alguma alteração no seu momento de vida.

A única coisa que você precisa saber é: quanto mais você se dispõe a correr riscos mais você precisa conhecer o mercado. Isso é indispensável para não cometer graves erros e perder muito dinheiro.

Quais são os investimentos ideais para cada um dos perfis?

Se existem diferentes perfis, nada mais natural do que existir investimentos mais alinhados a cada um deles, certo? Veja abaixo!

Para os ultra conservadores

Para quem quer riscos bem baixos e segurança em primeiro lugar, o caminho é a renda fixa. Um ultra conservador não está preocupado em ganhar dinheiro rapidamente sob a ameaça dos riscos, portanto, se você se identifica como ultra conservador, é importante considerar produtos como:

  1. CDBs;
  2. LCIs;
  3. LCAs;
  4. Tesouro Direto;
  5. Poupança.

Por falar em poupança, se você a considera o investimento ideal por ser fácil de aplicar e ter boa liquidez, saiba que existem alternativas com rentabilidades bem melhores, como os CDBs PagBank e a conta PagBank:

  1. Conheça os CDBs PagBank;
  2. Veja as vantagens de deixar o seu dinheiro na conta PagBank.

Para os conservadores

O perfil conservador prefere o caminho mais seguro e longo, porém, não abre mão de arriscar um pouquinho. Sendo assim, é importante investir a maior parte do dinheiro em produtos de renda fixa, mas reservar uma quantia para aplicar em renda variável.

O portfólio do investidor conservador pode ser misto, sendo composto de:

  1. CDBs, LCIs, LCAs e Tesouro Direto;
  2. Ações e/ou Fundos de Investimento.

Os Fundos de Investimento são produtos que, com oscilações, buscam atingir uma determinada rentabilidade, mas que contam com a ajuda de um especialista do mercado financeiro na hora de escolher quais ações farão parte do fundo. Sendo assim, as chances de perda são menores (mas ainda existem e não podem ser ignoradas!).

Para os moderados

O perfil moderado deve seguir uma recomendação parecida com a do perfil conservador, porém, com uma pequena inversão: mais dinheiro na renda variável e menos na renda fixa. É importante considerar opções como:

  1. Ações e Fundos de Investimentos;
  2. CDBs, LCIs, LCAs, Tesouro Direto.

Para os experientes

Aqui fica claro que o objetivo é ganhar mais em menos tempo. Geralmente, o experiente abre mão da renda fixa e mira nos produtos de renda variável, como:

  1. Ações;
  2. Fundos de Investimento;
  3. Investimentos em moeda estrangeira;
  4. Day Trade (compra e venda de ações de uma determinada empresa em um único dia);
  5. Criptomoedas.

Todos esses produtos oferecem riscos altos, que só são diminuídos quando você tem muito conhecimento de mercado e sabe muito bem onde está colocando o seu dinheiro. Mesmo assim, até o investidor mais avançado está sujeito a perdas.

Um recado para todos os tipos de investidor: diversifique seu portfólio de investimentos

O portfólio ou carteira de investimentos nada mais é do que a listagem das suas aplicações. Quem quer se dar bem no mercado precisa entender que a variedade é o melhor caminho. E quando falamos em diversificação, isso não significa abrir mão do seu perfil ultra conservador e apostar na bolsa, mas sim buscar aplicações diferentes, mas que se alinham ao seu perfil.

Diversificar é importante, afinal, quem coloca todos os ovos na mesma cesta pode perdê-los todos de uma só vez. Um bom investidor, seja qual for o perfil, sabe que é preciso diversificar para aumentar a rentabilidade e ter mais liquidez.

Por isso, é sempre importante ficar de olho nas oportunidades do mercado e fazer diferentes aplicações. Seu bolso agradece e seus resultados podem ser ainda melhores do que você esperava!

Invista com segurança e praticidade!

Se você busca investimentos com boa segurança, praticidade para investir e rentabilidade atraente, chegou a hora de conhecer os CDBs PagBank.

Nossos CDBs são para todos os bolsos e objetivos. Você encontra opções com investimento inicial de apenas R$100 e também CDBs que atingem um rendimento de até mais que o dobro da poupança!

Para aplicar, não tem segredo. Você só precisa ser cliente PagBank e abrir o super app para acessar o menu Produtos e, em seguida, clicar em Aplicar meu dinheiro. Pronto!

Investir conosco é simples e rápido. Não se esqueça também que a própria conta PagBank já é um investimento melhor do que a poupança.

Independente do seu perfil de investidor, conte conosco para o seu dinheiro render melhor! Abra uma conta PagBank e cuide do seu dinheiro!

Conheça os CDBs PagBank

O conteúdo deste website não deve ser considerado como análise de valores mobiliários ou recomendação de investimento pelo PagBank. O PagBank e as empresas integrantes de seu grupo econômico se eximem de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que decorram da realização de operações com base em seu conteúdo. Este website tem como única intenção fornecer um panorama sobre as diferentes categorias de produtos de investimentos disponíveis no mercado, estando baseado em dados de conhecimento público, conforme fontes devidamente indicadas, de modo que não representa qualquer compromisso e/ou recomendação de negócios por parte do Pagbank. As informações fornecidas por terceiros e/ou profissionais convidados disponibilizadas no blog PagBank, cujas fontes são devidamente indicadas, não expressam a opinião do PagBank, nem de quaisquer empresas integrantes de seu grupo, não se responsabilizando o Pagbank pela sua veracidade, exatidão e correção. Os investimentos apresentados podem não ser adequados aos seus objetivos, situação financeira ou necessidades individuais. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e podem impactar os portfolios de investimento, causando perdas aos investidores. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros. O preenchimento do questionário de análise de perfil de investidor (suitability) é essencial para garantir a adequação do perfil do cliente ao produto de investimento escolhido. As informações contidas no blog PagBank não devem ser consideradas como a única fonte para o processo decisório do investidor. Antes de tomar qualquer decisão, recomenda-se que o investidor busque orientação financeira independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto. Este conteúdo não deve ser reproduzido no todo ou em parte, redistribuído ou transmitido para qualquer outra pessoa sem o consentimento prévio do PagBank.