Entenda o que é e como funciona um fundo cambial

Resumo do texto

  • Fundo cambial é um fundo de investimento focado nas aplicações que usam as moedas estrangeiras como base;
  • Descubra o que é fundo cambial, como ele funciona e quais são as taxas e tributos;
  • Conheça as vantagens e desvantagens de um fundo cambial.

Conheça os Fundos de Investimento PagBank!

 

Imagine que você, sua família e seus amigos desejam comprar dólar para lucrar um pouco quando a moeda valorizar em relação ao real. Ao invés de cada um fazer isso por conta própria, vocês fazem isso em conjunto e, depois, distribuem proporcionalmente o lucro (ou prejuízo, claro) de acordo com o quanto cada um investiu.

Essa é a lógica básica por trás de um fundo cambial, no mínimo 80% dos recursos são aplicados em ativos relacionados a moedas estrangeiras. Ele pode proporcionar bons ganhos em momentos de crises financeiras e, ao mesmo tempo, proteger o investidor contra a desvalorização do real.

É possível encontrar aplicações mínimas bem acessíveis, ideais para quem deseja diversificar suas aplicações e investir também em outras moedas.
A seguir, você vai entender mais sobre o funcionamento do fundo cambial, para quem ele é indicado e quais são as vantagens e desvantagens de investir!

O que é fundo cambial?

O fundo cambial é um fundo de investimento que tem como característica o investimento em ativos que têm relação com moedas estrangeiras, como dólar e euro.
Trata-se de um fundo aberto, ou seja, admite novos investimentos e também resgates dos cotistas. Em um fundo cambial também é permitido entrar novos investidores.

Os fundos cambiais mais conhecidos são os que aplicam em dólar e confiam no desempenho da moeda norte-americana para trazer retorno aos investidores. Mas é importante ressaltar que os fundos cambiais não compram moeda.

Eles fazem aplicações em investimentos que têm relação direta com as moedas estrangeiras.

Como funciona um fundo cambial?

Assim como em outros fundos de investimento, o fundo cambial conta com um gestor. Ele é o responsável pela escolha e acompanhamento das aplicações que irão compor uma carteira.

O gestor não aplica diretamente nas moedas estrangeiras, ou seja, um fundo cambial não é como uma reserva de dólar ou euro. O fundo é composto de produtos do mercado financeiro, que são as operações com derivativos.

Os derivativos são investimentos que variam de valor de acordo com outro produto do mercado financeiro. Neste caso, os derivativos usados no fundo cambial valorizam (ou desvalorizam) de acordo com o desempenho do dólar ou de outra moeda estrangeira que ele está atrelado.

Um fundo cambial precisa ter no mínimo 80% dos recursos alocados em ativos atrelados à moeda estrangeira e os 20% restantes podem ser aplicados em títulos de renda fixa.

É importante deixar claro que, apesar do fundo cambial estar atrelado à variação de moedas internacionais, as aplicações são feitas em reais. A moeda estrangeira é apenas a referência de desempenho desses fundos, como um índice de rentabilidade. Dessa forma, um fundo cambial atrelado ao dólar traz retorno para os cotistas quando a moeda americana se valoriza acima do real.

Custos do fundo cambial

Nos fundos cambiais existe a taxa de administração, que é calculada sobre o patrimônio administrado no fundo. A função dessa taxa é pagar pelo serviço de administração e gestão dos recursos do fundo.

A taxa é cobrada independentemente do resultado das aplicações, ou seja, será cobrada mesmo se houver prejuízo.

Tributação

Os fundos cambiais têm incidência de dois impostos: o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e o Imposto de Renda.

No caso do IOF, esse imposto incide somente sobre os rendimentos dos resgates em aplicações com menos de 30 dias. A alíquota inicial é de 96% e vai reduzindo até o 30º dia de aplicação, data em que o IOF é zerado. Por conta dessa característica, não é muito interessante fazer o resgate em um fundo cambial antes dos 30 dias de aplicação.

Já o imposto de renda segue a tabela regressiva igual da renda fixa. Confira as alíquotas:

Deslize para mais informações
Tempo de aplicação Alíquota IR
Até 180 dias 22,5%
De 181 a 360 dias 20%
De 361 a 720 dias 17,5%
Acima de 720 dias 15%

 

Há a cobrança no último dia dos meses de maio e novembro pela menor alíquota da tabela (15%). E, no resgate, é aplicada uma alíquota conforme prazo de permanência do investidor, descontado o que já foi pago em maio e novembro.

Vale a pena investir em fundos cambiais?

Veja abaixo algumas vantagens e desvantagens que você encontra ao aplicar seu dinheiro em um fundo cambial:

Vantagens

Para quem quer investir em moeda estrangeira, mas não tem tempo (ou conhecimento para escolher as aplicações), o fundo cambial é uma alternativa prática. Basta comprar as cotas e deixar o trabalho mais difícil nas mãos do gestor do fundo, que vai ser o responsável pelo acompanhamento do desempenho da aplicação.

Outro bom motivo para investir nesses fundos é a liquidez, o que contribui para quem precisa reaver o dinheiro investido em pouco tempo.

Além de uma boa liquidez, o fundo cambial permite que o investidor ganhe em momentos de crise da economia local, que é quando o real se desvaloriza.

O histórico recente da nossa economia mostra que estamos em recuperação após um momento de baixa, por isso, aplicar num fundo cambial é uma boa opção para quem quer buscar rentabilidade diferenciada.

Desvantagens

O principal risco de um fundo cambial é a oscilação nos valores das moedas estrangeiras. Por melhor e mais experiente que seja o gestor, ele não tem como prever aqueles acontecimentos que mexem com o câmbio e geram queda no dólar e em outras moedas.

Outra desvantagem que você precisa pensar é relativa às altas taxas. Alguns fundos cobram caro dos participantes, e isso compromete os ganhos da aplicação. Portanto, fique atento à taxa de administração.

Para quem o fundo cambial é indicado?

Embora possam proporcionar bons resultados, os fundos cambiais oferecem alto risco em função da variação no câmbio.

Por conta dessa característica, são indicados para quem quer proteger o seu patrimônio das oscilações da nossa economia ou para quem pretende usufruir dos ganhos com a moeda estrangeira, como em uma viagem ao exterior, por exemplo.

Você também pode investir em fundos cambiais para fazer a famosa especulação, porém, é melhor fazer isso somente se você tem um bom conhecimento sobre economia e está acostumado com as oscilações do mercado.

Como investir em fundos cambiais

O primeiro passo é escolher o banco ou corretora de sua preferência. Na hora de aplicar, não se esqueça que a experiência do gestor do fundo também conta muito.

Mesmo que você já esteja decidido a investir em fundos cambiais, é importante que você faça um teste de perfil de investidor antes de aplicar. Esse teste é feito pela própria instituição financeira e serve para definir o seu grau de tolerância aos riscos do mercado financeiro e dos investimentos.

Os fundos cambiais são investimentos que apresentam bastante oscilação. E, portanto, são mais adequados para perfis moderados ou arrojados. Caso o seu perfil seja mais conservador, saiba que há outros investimentos (investimentos de renda fixa e variável) que podem se adequar à relação risco versus retorno para a sua carteira de investimentos.

Aplique em fundos e diversifique seus investimentos

Fundos de investimento são excelentes para tornar a sua carteira de investimentos mais versátil sem fazer com que você se preocupe em contratar e administrar diversos produtos.

Vale a pena aproveitar a oportunidade de investir em um produto que oferece uma boa rentabilidade e que conta com o auxílio de uma equipe de especialistas, que trabalham com foco total no rendimento do fundo.

Se o seu desejo é aplicar de forma simples e buscar ganhos diferenciados, saiba que você pode fazer tudo pelo super app. Chegou a hora de você conhecer os fundos de investimento do PagBank.

Nossos fundos oferecem para você a comodidade de ter profissionais trabalhando para fazer seu dinheiro render mais. Gostou da oportunidade?

Conheça os Fundos de Investimento PagBank!

“Este canal tem como única intenção fornecer um panorama sobre as diferentes categorias de produtos de investimentos disponíveis no mercado. Os conteúdos não têm o objetivo de oferecer análise de valores mobiliários ou recomendações de investimento, considerando que os produtos apresentados podem não ser adequados aos objetivos, situação financeira ou necessidades individuais de cada usuário. O PagSeguro PagBank se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que decorram da utilização de seu conteúdo, bem como por eventuais informações fornecidas por terceiros, que não expressam a opinião do PagSeguro PagBank. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e as informações podem não estar atualizadas no momento exato da consulta do material. Antes de tomar qualquer decisão, é recomendado que o leitor busque orientação financeira independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto.”

  • Tags