Resumo do texto

  • Veja quais são os principais desafios e pontos de reflexão sobre a rotina de quem investe e de quem empreende;
  • Analise as informações e descubra qual desses dois perfis têm mais a ver com você!
  • Investidor ou empreendedor, a melhor forma de cuidar do seu dinheiro começa aqui.

Conheça os CDBs PagBank

 

Quem tem um dinheiro guardado e quer fazer com que ele se torne mais que uma reserva financeira tem duas opções pela frente. Uma delas é transformar essa grana em investimentos, a outra opção é trilhar o caminho do próprio negócio, trabalhar com algo que dá prazer e, claro, garantir um bom retorno financeiro.

Empreender ou investir é uma dúvida bastante comum, mas já adiantamos que não existe uma resposta correta. Quem deve saber qual é a melhor opção é você, afinal, é a sua grana e seu futuro que estão em jogo.

Queremos te ajudar a conhecer mais sobre educação financeira, e, por consequência, ter mais sucesso nessa missão de juntar suas economias e conseguir um dinheiro a mais.

Separamos alguns pontos importantes para você pensar e definir se o seu caminho é se tornar um investidor ou um empreendedor. Descubra qual opção se encaixa melhor no seu perfil, assim, fica mais fácil entender qual é o caminho mais adequado para você dar um gás na sua renda.

Quero ser um investidor!

Então você quer investir? Parabéns, esse caminho é repleto de possibilidades, onde  você pode conseguir aumentar sua renda e o seu patrimônio sem fazer muito esforço, como acordar cedo para trabalhar ou ficar até altas horas da madrugada fazendo hora extra.

Investir  é um jeito de fazer o dinheiro trabalhar para você, afinal, não é preciso muita coisa além de escolher os modelos de investimento para aplicar seu dinheiro. Porém, para conseguir um retorno bom o suficiente, é preciso conhecer o mercado financeiro e os tipos de aplicações que podem ser feitas.

O que é preciso levar em conta para ser um investidor?

Podemos listar como principais vantagens de ser um investidor os seguintes pontos:

  1. Não existe horário de trabalho, basta fazer os investimentos e acompanhar os resultados;
  2. Não é preciso se preocupar com capital de giro, abertura de empresa, divulgação de serviços, nem nada disso;
  3. Tudo pode ser administrado via internet ou usando aplicativos;
  4. É preciso dedicar pouco tempo por dia para fazer um gerenciamento legal dos investimentos.

O investidor tem uma rotina mais tranquila que a do empreendedor, já que ele pode fazer tudo no conforto da sua casa, sem precisar trabalhar durante muito tempo por dia para conseguir uns resultados legais.

Conhecimento é a chave do sucesso

Porém, nem só de moleza se vive o mundo dos investimentos. O dinheiro pode até trabalhar por você, mas é preciso ter muita inteligência para acertar na mosca. O principal esforço do investidor está na pesquisa de mercado e nos conhecimentos sobre o universo financeiro. Para ter sucesso com suas aplicações, o mínimo que você precisa saber é:

  1. Como está o mercado financeiro (isso significa ficar atento às notícias, blogs, canais do YouTube etc);
  2. Conhecer as principais modalidades de investimento;
  3. Saber quais são as instituições mais confiáveis e os produtos com melhor rendimento.

Tudo isso é fundamental para construir uma base de conhecimentos grande o suficiente para você acertar em cheio na hora de investir. E quando falamos em acertar em cheio, é bom que você entenda que os investimentos são divididos entre os de baixo risco e alto risco.

Onde investir?

Os modelos de baixo risco são os de renda fixa, como:

  1. Certificados de Depósito Bancário (CDB);
  2. Letras de Crédito Imobiliário (LCI);
  3. Letras de Crédito do Agronegócio (LCA);
  4. Letras de Câmbio (LC);
  5. Depósitos na poupança.

As aplicações de renda fixa oferecem uma rentabilidade menor e um risco muito baixo de perder seu dinheiro. A renda variável, em contrapartida, pode oferecer retornos espetaculares em pouco tempo, porém, também existe o risco de perder dinheiro com as variações nos preços das ações.

O investidor precisa conhecer essas diferenças antes de escolher as aplicações. Para se dar bem com a renda variável, é preciso arriscar, acompanhar o mercado e ficar de olho nas notícias das empresas. Na renda fixa, o segredo é pesquisar os índices de rentabilidade (que são aqueles números como 120% do CDI) usados nas aplicações e fazer investimentos confiáveis.

Se você está em busca de uma opção segura e com boa rentabilidade, chegou a hora de conhecer os CDBs PagBank. Você tem à sua disposição vários modelos diferentes, com rendimentos que podem atingir 170% do CDI, ou seja, o dobro da poupança.

Não sabe o que é CDI? Basta clicar aqui para entender tudo sobre o assunto. 

Os CDBs PagBank e a conta PagBank são dois exemplos de investimentos simples, fáceis de administrar e que são gerenciados sem complicação, tudo pela tela do seu celular, direto no super app PagBank.

Conheça todos os CDB PagBank e comece a aplicar agora mesmo!

Quanto eu posso ganhar sendo investidor?

Tudo vai depender dos investimentos que você faz. Se o seu perfil é de um investidor mais conservador, daqueles que só aposta em renda fixa, é bom saber que seus ganhos serão legais, mas não muito grandes.

 Quem deseja viver de investimentos ou quer aumentar sua reserva financeira precisa diversificar as aplicações, isso significa apostar na renda fixa e também na variável, além de ficar de olho nas melhores oportunidades do mercado (especialmente na bolsa de valores).

Quais os riscos em investir?

Os principais riscos do universo dos investimentos são:

  1. Aplicar em renda variável;
  2. Aplicar com um banco que tem o índice de Basileia muito baixo.

A renda variável gera retorno, mas, se você investir em ações e elas desvalorizarem, você perde dinheiro e vai precisar esperar uma alta no preço para recuperar o prejuízo (e isso pode não acontecer durante um bom tempo).

Em relação ao índice de Basileia, ele analisa a saúde financeira do banco – para entender ainda mais, confira esse post especial sobre o assunto. Se o banco tem pouca grana na reserva, o risco de falência é maior, e, se isso acontecer, você pode perder seu dinheiro investido.

Para não correr esse risco, o ideal é investir em bancos que têm uma boa nota no índice de Basileia, como é o caso do PagBank. Além disso, tenha certeza de que seus investimentos em renda fixa são feitos em instituições que contam com o suporte do Fundo Garantidor de Crédito — o FGC é uma organização sem fins lucrativos que regula o mercado de aplicações financeiras e dá garantia para quem investe em diferentes tipos de produtos, dentre eles os CDBs.

Já em relação ao risco de perda com renda variável, não existe remédio. O jeito é acompanhar o mercado, ficar de olho no que as empresas estão fazendo e ter paciência, já que as ações que estão gerando prejuízo hoje podem ser a sua grande fonte de lucro amanhã.

Quero ser um empreendedor!

Então você gosta de arregaçar as mangas e trabalhar a todo vapor? Se a sua resposta foi sim, saiba que o seu caminho está certo. O universo do empreendedorismo é cheio de desafios, repleto de trabalho e exige muita dedicação dos empreendedores.

Vão mais longe aqueles que mais se dedicam e que, ao mesmo tempo, acompanham as mudanças do mercado, ficam de olho no comportamento dos clientes e quem tem aquele famoso espírito de vendedor.

Diferente do caminho do investidor, o empreendedor precisa trabalhar bem mais tempo e lidar com relacionamento com clientes, fornecedores e funcionários. Porém, quando você abre o próprio negócio, surge a oportunidade de trabalhar com aquilo que você mais gosta e, literalmente, ser dono do próprio nariz.

Resumindo: o caminho do empreendedor é cheio de grandes desafios, mas muito gratificante, ainda mais quando você consegue transformar a sua ideia em um negócio de sucesso.

O que é preciso levar em conta para ser um empreendedor?

Um empreendedor não vai poder fugir do trabalho duro. O sucesso do seu negócio depende diretamente do seu tempo de dedicação. Empreendedorismo exige suor, por isso, muita gente deixa seu antigo trabalho só para focar em seu próprio negócio em tempo integral.

E quando falamos em dedicação, isso não significa só assumir a frente do caixa e fazer vendas para clientes, o trabalho é bem mais completo, e vai envolver:

  1. Confira os primeiros passos para empreender;
  2. Estudo sobre o seu segmento;
  3. Pesquisa sobre os melhores produtos e fornecedores;
  4. Busca por informações sobre o público-alvo e suas preferências;
  5. Análise dos concorrentes;
  6. Gerenciamento financeiro de qualidade;
  7. Acompanhamento das inovações do mercado e das melhores tecnologias para oferecer aos clientes.

Foco no cliente

Se no caminho do investidor você só precisa pensar em si mesmo, no caminho do empreendedor o segredo é pensar no outro, ou melhor, no cliente e nos seus principais desejos e necessidades.

A tão falada experiência do cliente é essencial para conquistar o coração deles e fazer com que os consumidores se tornem fiéis a você. Conforme o cliente passa por boas experiências enquanto compra ou usufrui dos seus serviços, crescem as chances do seu negócio se destacar, a ponto de ser recomendado pelas pessoas.

Então, para oferecer sempre o melhor para seus clientes, fique de olho no que eles precisam, nas principais motivações que os levam a comprar do seu negócio e tente se antecipar a eles, oferecendo soluções para os seus problemas e boas oportunidades de negócios.

Preparo e muita força de vontade

O empreendedor precisa ter muita vontade de fazer seu negócio dar certo, e isso significa dedicação ao projeto. Porém, nem só de dedicação são feitas empresas de sucesso. Além de ser dedicado, o empreendedor precisa se preparar para administrar um negócio, e isso vai envolver conhecimentos como:

  1. Administração financeira;
  2. Comunicação com clientes;
  3. Gestão de relacionamento com fornecedores;
  4. Estratégias de divulgação;
  5. Estratégias de vendas.

Sim, o empreendedor não deve ser apenas o dono do negócio, mas a alma dele e, principalmente, o cérebro. Por essa razão, é muito importante mesmo que um empreendedor esteja sempre pronto para receber novos conhecimentos, fazer cursos e se preparar cada vez mais. 

Tecnologia é seu braço direito

A experiência do cliente pode ser melhorada com o uso de ferramentas modernas, por isso, o empreendedor precisa estar aberto a testar e aplicar novidades no seu negócio. Um bom exemplo de como a modernidade pode revolucionar seu negócio é o Pag pro Pequeno.

O Pag pro Pequeno é o conjunto de ferramentas e recursos que oferecemos para os pequenos empreendedores. Estão disponíveis soluções de pagamento digital, vendas online, e-commerce, gestão de delivery e criação de menu digital de produtos.

Todas essas ferramentas trazem um impacto positivo para o seu cliente, seja ao facilitar as vendas ou fazendo a divulgação do seu negócio ainda mais forte, então, se você quer melhorar resultados, deixe as portas abertas para o melhor da tecnologia!

Clique aqui e conheça tudo o que o Pag pro Pequeno pode fazer pelo seu negócio!

Ah, e não podemos nos esquecer de uma das principais ferramentas para qualquer dono de negócio: as maquininhas de cartão. Os modelos do PagSeguro são feitos pensando nos empreendedores e nas suas necessidades. Para saber qual é a melhor maquininha para o seu negócio, clique aqui!

Quanto eu posso ganhar sendo empreendedor?

Essa resposta varia muito de acordo com:

  1. O segmento que você opera;
  2. A concorrência que seu negócio encara;
  3. A gestão que você está fazendo;
  4. Os preços e a qualidade dos produtos e serviços que você oferece.

De forma simples, podemos dizer que o valor da sua empresa e quanto ela pode dar de retorno vão depender diretamente da sua dedicação e das suas escolhas, portanto, diferente do investidor que depende do mercado, o empreendedor depende mesmo é do próprio suor.

Se você tem uma boa dedicação, estuda o seu mercado, faz as mudanças para melhorar resultados e dedica um tempo para fazer uma boa gestão financeira, seu faturamento pode ser bem alto, contudo, se nada disso for feito, entram em campo os maiores riscos do empreendedorismo.

Quais são os principais riscos?

As principais ameaças ao empreendedor são a má gestão e a falência. Gerenciar seu empreendimento sem muito cuidado pode fazer com que o seu negócio se torne uma sangria desatada, ou seja, em vez de atuar para fazer sua reserva de grana crescer, ele só está consumindo o que você guardou.

Muitas empresas demoram um tempo para dar lucro, isso é um fato que você precisa ter em mente antes de empreender, porém, depois de um tempo, se os prejuízos continuam, isso é um sinal de que alguma coisa não está correndo muito bem, e, geralmente, os motivos estão na forma como o negócio está sendo administrado.

Já a falência representa perdas financeiras imensas. Por mais que ser um investidor tenha seus desafios, o empreendedorismo também é cheio de riscos, afinal, você pode perder toda a sua reserva montando um negócio que não passa de uma furada.

A falência pode ser um processo muito, mas muito chato mesmo, além de gerar um grande problema financeiro para você, e, caso isso não aconteça, até a Justiça pode ser acionada. Portanto, o ideal é estar preparado e depositar dedicação total ao seu negócio para evitar esse risco.

Investir ou empreender? Qual é o caminho certo?

Bom, como dito lá no começo, não existe uma resposta certa, tudo depende da sua vontade e do seu perfil e, claro, dos seus sonhos e objetivos.

O que você precisa realmente saber é que um caminho não impede o outro, ou seja, você pode ser um investidor, levantar uma grana e se tornar um empreendedor ou então começar seu próprio negócio e investir parte do seu faturamento.

Porém, se você quer seguir apenas um caminho nesse instante, fique de olho nos principais pontos:

EMPREENDER INVESTIR
Maior tempo de dedicação X
Menos esforço para conseguir resultados X
Retorno financeiro mais rápido X
Rotina mais tranquila e menos corrida X
Riscos de perda X X
Oportunidade de inovar X

 

Seja qual for a sua escolha, conte conosco

Vai investir? Então, não deixe de conhecer os CDBs do PagBank. Com eles você consegue bons retornos, sem grandes riscos e conta com a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) sobre seus investimentos.

Vai empreender? Não deixe de conhecer mais sobre o Pag pro Pequeno e descubra todas as ferramentas que você pode usar no seu negócio para ir mais longe, vender mais e cada vez melhor e, ao mesmo tempo, cuidar muito bem da sua grana e das contas da sua empresa.

Os dois caminhos começam no mesmo lugar: baixando o super app PagBank e criando uma conta em poucos minutos.

Conheça os CDBs PagBank