O que é IPCA e como isso afeta seu bolso?

Resumo do texto

  • Aprenda o que é IPCA e como ele impacta o seu bolso;
  • Saiba como esse indicador é calculado;
  • Veja alguns investimentos que usam o IPCA como taxa de rentabilidade.

 

Você abriu um portal de notícias e viu a seguinte chamada: “IPCA fechou mais alto que o mês anterior” ou então “as expectativas são que o IPCA volte a subir no próximo mês.”

Mas afinal, o que é esse tal de IPCA? Ele é considerado o termômetro da inflação e um dos índices da economia brasileira usado para avaliar a situação econômica do país.

Sabe por que você deve ficar de olho nessas informações? Porque ele influencia diretamente o seu bolso.

O que é IPCA?

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) é um indicador calculado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Ele mede a variação dos preços de produtos e serviços consumidos pelas famílias brasileiras com renda entre 1 e 40 salários mínimos.

O cálculo é feito uma vez por mês e considera o preço de produtos básicos para a população, como alimentação e moradia. Cada item usado para a construção do IPCA tem um peso diferente no cálculo final.

O objetivo é entender se houve aumento ou redução no custo de vida e no poder de compra das famílias.

A pesquisa de preço é feita mensalmente nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Goiânia, Brasília, Campo Grande, Vitória, Salvador, Aracaju, Fortaleza, Recife, Belém, Rio Branco e São Luís.

O IPCA tem abrangência nacional, mesmo que não seja calculado em todas as cidades do Brasil. 

Para o que ele é utilizado?

De maneira geral, o IPCA é usado para entender a variação dos preços de diversos itens a cada mês.

Os produtos utilizados no cálculo são definidos pelo IBGE e são aqueles considerados básicos para a população, como arroz, feijão, gasolina, aluguel, vestuário, gastos com saúde e com educação.

No entanto, o IPCA não só considera as mudanças de preço de cada produto e serviço, mas também o peso que cada item tem no bolso da população.

Além disso, esse índice também funciona como um indicador de rentabilidade de alguns investimentos. 

Como é calculado o IPCA?

O cálculo do IPCA é feito a partir de uma pesquisa com mais de 400 mil preços em mais de 30 mil locais. Depois, é feita uma comparação de preços do mês atual com o mês anterior e o resultado é a variação desses valores.

O IBGE levanta todas as informações de preços do primeiro e do último dia do mês em diversos comércios, empresas de serviços públicos, como de energia e água, e empresas de telefone e internet. 

O que faz o IPCA subir ou descer?

Existem algumas razões para as mudanças do IPCA, e uma delas é a oferta e demanda.

Ou seja, se a procura por um produto cresce, o preço sobe. O contrário também acontece. Se a procura por um produto diminui, o valor cai.

Por exemplo, se o resultado da safra de algum alimento for boa, os produtores podem vender por um preço menor, pois tem muita quantidade. Agora, se a colheita passou por perdas, seja por questões climáticas ou outro problema, o preço irá aumentar, pois o fornecedor terá menos alimentos para vender.

Isso pode causar um desequilíbrio na oferta e procura e fazer o IPCA subir.

Os custos de produção de uma empresa também podem puxar o IPCA para cima ou para baixo. Por exemplo, se um setor sofre com aumentos de preço de produção, de transporte, de salários ou impostos, esses valores são repassados para os consumidores finais.

Qual o impacto do IPCA no nosso dia a dia?

As variações do IPCA tem impacto direto no bolso da população. Quando o índice está alto, significa que o dinheiro perdeu o valor. 

Ou seja, o preço das coisas está aumentando, mas o seu salário segue o mesmo. Você não consegue comprar os mesmos itens do mês anterior pelo mesmo preço.

Então, mensalmente, quando nos deparamos com preços mais altos ou mais baixos aqui e ali, essas mudanças impactam ou têm origem no cálculo do IPCA e no reajuste de preços com base no índice.

Quem viveu nos anos 80 e 90 lembra bem da hiperinflação. As coisas mudavam de valor do dia para noite, por isso, era comum fazer compras no supermercado assim que recebia o salário. Isso porque os preços mudavam, literalmente, da noite para o dia. 

Esse talvez tenha sido um dos momentos mais claros da nossa história para exemplificar o impacto do IPCA na vida das pessoas.

Um outro ponto em que o IPCA impacta o bolso dos brasileiros é nos investimentos. Como ele é usado como taxa de rentabilidade de algumas aplicações, as variações do índice afetam o rendimento.

Por que o IPCA é considerado o índice da inflação?

O IPCA é considerado o principal índice da inflação porque ele representa a variação de preços, indicando se estamos em um período de inflação ou deflação.

Sendo a inflação o aumento generalizado de preços que afeta praticamente todas as categorias de produtos e serviços.

O que é IPCA acumulado?

O IPCA acumulado é a somatória das taxas mensais do índice de um determinado período. Segundo o IBGE, por exemplo, o IPCA acumulado entre abril de 2021 e março de 2022 foi de 11,30%.

Fazer o cálculo do índice em um determinado período dá origem à inflação acumulada. Com base nela, os economistas buscam entender onde estão as pressões de preços e se vão continuar nos próximos meses.

Para saber exatamente qual o IPCA acumulado, a Calculadora do Cidadão, ferramenta desenvolvida pelo Banco Central, faz este trabalho. Basta selecionar IPCA e definir o período para saber qual foi a inflação acumulada.

IPCA 2024: confira o histórico da taxa

Fique de olho no histórico do IPCA em 2024 e veja como ele pode impactar a sua vida.

Deslize para mais informações
Mês IPCA Mensal
IPCA 2024 | Janeiro 0,42%
IPCA 2024| Fevereiro 0,83%
IPCA 2024| Março 0,16%
IPCA 2024 | Abril 0,38%
IPCA 2024 |Maio
IPCA 2024 | Junho
IPCA 2024 | Julho
IPCA 2024 | Agosto
IPCA 2024 | Setembro
IPCA 2024 | Outubro
IPCA 2024 | Novembro
IPCA 2024 | Dezembro

Investimentos atrelados ao IPCA

Não é só na hora de calcular a variação de preços que o IPCA aparece. Existem diversos investimentos com sua rentabilidade atrelada ao índice.

Confira os principais:

1. Tesouro IPCA+

O Tesouro IPCA+ é um título do Tesouro Direto onde o investidor está emprestando dinheiro ao poder público que, em troca, devolve o valor com uma taxa de juros, a rentabilidade.

A rentabilidade desse título é híbrida, ou seja, é uma combinação de uma taxa prefixada, por exemplo 4%, mais um indicador financeiro, que neste caso é o IPCA.

Esse investimento traz uma boa vantagem que é a rentabilidade sempre acima da inflação.

Porém, para garantir essa rentabilidade, é preciso manter o dinheiro investido no título até o dia do vencimento.

Conheça o Tesouro IPCA+

2. Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

Nesse tipo de aplicação, o investidor empresta dinheiro para o banco financiar operações do setor imobiliário, no caso das LCI, ou agronegócio, nas LCAs.

Ou seja, você aplica seu dinheiro e a instituição repassa esse valor a outras pessoas que estão fazendo financiamento de imóveis ou para produtores agrícolas. 

Depois, essa mesma instituição devolve o valor investido com os rendimentos, que são os juros da aplicação.

Esses investimentos são isentos de Imposto de Renda e alguns desses títulos são atrelados ao IPCA, por isso, a rentabilidade acompanha a inflação.

3. Debêntures

São títulos de crédito emitidos por empresas onde o investidor faz um tipo de empréstimo para companhias que depois devolvem o dinheiro com juros. 

O objetivo das debêntures é conseguir recursos para empresas privadas, sendo uma forma mais rápida e mais em conta de arrecadar dinheiro do que um empréstimo em um banco.

Algumas debêntures são atreladas ao IPCA e conseguem corrigir o valor aplicado. Dessa forma, seu dinheiro dificilmente perderá valor no longo prazo.

Inclusive, um tipo de debênture chamada de incentivada, é isenta de Imposto de Renda.

4. Fundos de Inflação

São fundos de investimentos de renda fixa compostos por títulos com rendimento atrelado ao IPCA ou IGP-M, que são dois índices usados para medir a inflação.

Com eles, a partir de uma única aplicação, é possível ter acesso a diversos investimentos que remuneram conforme a inflação.

Além disso, o fundo é gerenciado por profissionais com experiência no mercado financeiro, o que traz mais segurança para investir e buscar bons resultados.

Saiba mais sobre os fundos de inflação

Invista com segurança e praticidade pelo super app PagBank!

Entender como o IPCA funciona traz muitos benefícios para os investidores. E aqui no PagBank você encontra diversas aplicações que acompanham esse índice e podem trazer ainda mais rentabilidade para o seu dinheiro.

Com o super app PagBank é possível investir nos nossos CDBs, Tesouro Direto e Fundos de Investimentos!

Quer contar com a ajuda de especialistas para investir de forma inteligente? Acesse a nossa Carteira Sugerida Tesouro Direto!

Se você ainda não tem sua conta no PagBank, crie a sua agora e tenha acesso a diversas opções para investir sem complicações e sem taxas escondidas.

Para investir em renda fixa não tem mistério, basta seguir os passos a seguir:

  1. abra o super app e clique em “Investimentos”;
  2. vá em “Aplicar meu dinheiro”;
  3. escolha “Renda Fixa”;
  4. confira as opções e faça sua escolha;
  5. agora é só Investir.

Comece agora a dar mais rentabilidade a suas economias!

Conheça os investimentos disponíveis no PagBank!

“Este canal tem como única intenção fornecer um panorama sobre as diferentes categorias de produtos de investimentos disponíveis no mercado. Os conteúdos não têm o objetivo de oferecer análise de valores mobiliários ou recomendações de investimento, considerando que os produtos apresentados podem não ser adequados aos objetivos, situação financeira ou necessidades individuais de cada usuário. O PagBank se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que decorram da utilização de seu conteúdo, bem como por eventuais informações fornecidas por terceiros, que não expressam a opinião do PagBank. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e as informações podem não estar atualizadas no momento exato da consulta do material. Antes de tomar qualquer decisão, é recomendado que o leitor busque orientação financeira independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto.”