Resumo do texto

  • Muita gente acha que não dá para viver de renda, porém, este caminho é uma opção, desde que trilhado com muita sabedoria;
  • Descubra o que é preciso para viver de renda e como investir para chegar lá.

Conheça os CDBs PagBank!

 

Já pensou ter sua vida paga com o rendimento das suas aplicações financeiras? Isso é o que chamamos popularmente de “viver de renda”. Quem vive assim, recebe a renda passiva — que é gerada por investimentos como CDBs, Ações na Bolsa de Valores e até mesmo aluguéis de imóveis.

Por isso, é importante que o rendimento dos seus investimentos dê conta dos seus gastos mensais e seja suficiente para seus outros objetivos (como viagens, uma casa nova, um carro mais moderno) saiam do papel.

Se você acredita que isso é algo muito distante da realidade, saiba que viver de renda é uma possibilidade real, mas que leva tempo. Além de tempo, é preciso sabedoria para guardar dinheiro e escolher os melhores investimentos.

Você quer viver de renda? Então, veja o que é preciso fazer para torná-lo realidade.

Ainda não aplica seu dinheiro? Clique aqui e veja alguns motivos para começar agora mesmo.

Como viver de renda?

Viver de renda não é impossível, mas vai exigir de você disciplina, acompanhamento do mercado financeiro, tempo e estratégia para avaliar onde é melhor aplicar o seu dinheiro.

Quem vive de renda não para de trabalhar, mas muda totalmente a maneira de como isso acontece.  O investidor trabalha com informações e precisa se esforçar para conhecer melhor o mercado financeiro, os produtos disponíveis, rentabilidades, riscos e oportunidades.

Mas isso também não faz de você uma pessoa capaz de viver de renda, é preciso investir mais e cada vez melhor. Veja alguns passos para você preparar o terreno até atingir seu objetivo.

1. Comece agora

Viver de renda não é um objetivo de curto prazo, por isso, comece a investir hoje para colher os frutos depois.

Seja você apenas um estagiário dando os primeiros passos no mercado de trabalho ou o dono do próprio negócio, o caminho é o mesmo: aplicar agora e garantir uma boa quantia no futuro.

Mesmo que você ganhe pouco e seu custo de vida consuma boa parte da sua renda, reserve uma pequena quantia todo mês e crie este hábito. É melhor dar pequenos passos do que ficar no mesmo lugar. O importante mesmo é poupar e aplicar!

Além de investir, você precisa se preocupar em reinvestir. Sempre que você ganhar um dinheiro com alguma aplicação, separe um pouco para sua reserva e invista o restante, focando em aplicações melhores e com rentabilidades mais interessantes.

Criar o hábito de manter sempre parte do seu dinheiro investido é essencial para ele nunca deixar de gerar lucro para você.

2. Construa um bom planejamento financeiro

Comece o seu planejamento mapeando o caminho percorrido pelo seu dinheiro ao longo do mês. Identifique e analise cada oportunidade de usar sua renda de forma mais econômica e inteligente, e tente fazer com que sobre um pouco de dinheiro no final do mês.

Conhecendo seus gastos e ganhos é mais fácil de traçar um plano concreto para investir. É com base neste estudo da sua vida financeira que você vai criar seus objetivos, então, vale dividir tudo em metas de curto, médio e longo prazo.

Por exemplo:

  1. Curto prazo (1 ano) – quitar todas as dívidas;
  2. Médio prazo (5 anos) – economizar 20% no gasto mensal e investir;
  3. Longo prazo (10 anos) – obter 50% da renda mensal através de investimentos.

Depois de planejar, identifique os maiores gastos e veja se você pode diminuí-los. Isso inclui reduzir o aluguel, trocar o carro por um transporte mais econômico, economizar no supermercado e até diminuir as suas compras e passeios. A realidade de quem deseja viver de renda é assim: sacrifícios agora, tranquilidade depois.

3. Tenha disciplina e comprometimento

De nada vai adiantar aplicar seu dinheiro e encontrar as oportunidades de economia se você não for comprometido com o seu objetivo principal. Quem quer viver de renda precisa entender que os benefícios da sua escolha vão aparecer mais adiante.

É preciso ter maturidade para encarar uma rotina mais econômica e estratégica. Ninguém consegue viver de renda sem criar o hábito de poupar, por isso, é preciso começar se preocupar com seus hábitos desde já.

4. Acabe com as grandes dívidas

Se o jeito é eliminar gastos para investir, você precisa focar em pagar aquelas dívidas mais pesadas, como pagar um apartamento, um carro ou acabar com a dívida do cartão de crédito.

Reduzindo suas despesas você vai ganhar fôlego para quitar essas contas. Em alguns momentos é preciso dar um passo para trás antes de dar dois para frente, por isso, se você tem muitas dívidas e quer viver de renda, é recomendável focar no pagamento delas para, só então, investir com mais tranquilidade.

5. Aprenda cada vez mais

Quem quer viver de renda precisa ter sede de conhecimento. Isso significa:

  1. Escutar opiniões de especialistas e investidores mais experientes;
  2. Estudar o mercado financeiro;
  3. Nunca desligar das notícias políticas e econômicas. 

Quanto maior o tempo dedicado ao estudo do mercado financeiro e dos investimentos, menores serão as chances de errar e maiores serão as oportunidades de faturar um bom dinheiro.

Seu conhecimento é sua defesa e ataque para desviar de furadas e conduzir seu dinheiro para os melhores tipos de investimento!

6. Aumente seu orçamento

Para viver de renda é preciso investir cada vez mais e da melhor forma, por isso, é preciso arregaçar as mangas, dar duro no trabalho, criar fontes de renda extra ou o que for necessário para aumentar seu orçamento.

Viver de renda é como erguer uma parede: cada economia é um novo tijolo disponível e você só precisa usar o cimento (neste caso, os investimentos e seu conhecimento de mercado) para juntar todos de forma bem sólida.

Quanto preciso para viver de renda?

Agora é hora de fazer as contas e descobrir quanto você precisa para realmente viver com a renda passiva gerada pelos seus investimentos. Vamos levar em consideração o modelo mais simples:

Patrimônio necessário = gasto anual ÷ (juros reais ÷ 100)

Para chegar na quantia certa, você precisa definir quanto pretende gastar e ganhar por mês. Lembre-se que quanto maior é o seu objetivo, mais esforço você precisa fazer. Vamos definir R$3 mil como seu gasto mensal (R$36 mil ao longo do ano).

Para definir juros reais a conta é um pouco mais complexa. Esse fator representa o quanto de juros suas aplicações rendem, descontada a inflação. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é o indicador que funciona como um termômetro da inflação e que deve ser utilizado na fórmula, veja abaixo:

juros reais (%) = taxa de rentabilidade dos ativos (%) – IPCA acumulado no período (%)

Supondo que o IPCA atinja 4% ao ano e que suas aplicações renderam 8% durante o mesmo período. Os juros reais serão de 4%. Agora, vamos voltar à primeira fórmula, completar e achar o valor necessário:

Patrimônio necessário = 36.000 ÷ (4 ÷ 100)

Patrimônio necessário = 36.000 ÷ 0,04

Patrimônio necessário = 900.000

Em um cenário no qual suas aplicações totais rendam 4% ao ano, tendo como base um custo de vida de R$3 mil por mês, você precisa ter R$900 mil investidos para viver somente de renda.

O grande desafio é que ninguém consegue controlar o IPCA e nem o rendimento das aplicações de renda variável. Portanto, é preciso conhecer bem o mercado financeiro e saber onde investir para garantir sempre a mesma rentabilidade, evitando perdas.

Agora que você já tem um norte sobre os valores, vamos falar sobre as formas de juntar esse dinheiro. Veja abaixo como viver de renda fixa e variável.

Não sabe as diferenças entre elas? Tire sua dúvida aqui!

Como viver de renda variável?

A renda variável é o caminho mais curto para juntar o dinheiro necessário para viver de renda. A grande questão é que este caminho é mais parecido com uma montanha-russa no escuro do que com uma subida em linha reta.

O mercado muda muito e o investidor não pode controlar essas variações, que podem consumir parte do seu dinheiro em questão de horas. Até mesmo os fundos de investimentos — que são gerenciados por empresas profissionais no mercado financeiro (e por conta disso são classificados como renda variável mais segura) — sofrem com perdas inesperadas. Ou seja, não há como fugir disso.

Para ter sucesso, é recomendado trilhar um caminho baseado em previsões e projeções de técnicos e especialistas. Por isso, estude, acompanhe notícias e, principalmente, diversifique suas aplicações. Você deve evitar ao máximo aplicar tudo no mesmo produto. Isso é um convite para perder dinheiro.

A renda variável reserva emoções, incertezas e boa rentabilidade. É um caminho cheio de riscos, mas que consegue gerar o dinheiro para você viver de renda em menos tempo.

Com uma boa dose de inteligência e uma pitada de sorte é possível atingir rentabilidades que não são encontradas na renda fixa, porém, nunca (nunca mesmo) esqueça de que seu dinheiro está sob risco o tempo todo.

Clique aqui e conheça tudo sobre nossos CDBs

Varie, diversifique e sempre reinvista!

O caminho para chegar longe é ganhar na quantidade. Quanto mais você aplica, mais dinheiro consegue. Na renda variável isso não é uma regra. Você pode aplicar R$10 mil hoje, R$20 mil amanhã e não sair do zero. 

Por outro lado, aplicar só em renda fixa é um caminho mais longo, e para viver de renda mais rápido é necessário pensar em como diversificar os seus investimentos.

Viva tranquilo. Viva de renda!

Viver de renda não é algo tão simples, mas está longe de ser impossível! Para chegar lá, é preciso adquirir conhecimentos e ter uma estratégia bem definida, além de tomar bastante cuidado em cada decisão. Não se esqueça também de variar seu portfólio de investimentos. Isso é essencial para aumentar os ganhos e reduzir perdas.

Se você precisar de uma mãozinha para começar, conte com a gente! Sua conta no PagBank já rende mais que a poupança. Ela também dá acesso a todos os nossos CDBs, assim, você consegue aplicar seu dinheiro hoje mesmo!

Não perca mais tempo. Viver de renda no futuro começa agora!

Abra já sua conta no PagBank

“Este canal tem como única intenção fornecer um panorama sobre as diferentes categorias de produtos de investimentos disponíveis no mercado. Os conteúdos não têm o objetivo de oferecer análise de valores mobiliários ou recomendações de investimento, considerando que os produtos apresentados podem não ser adequados aos objetivos, situação financeira ou necessidades individuais de cada usuário. O PagSeguro PagBank se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que decorram da utilização de seu conteúdo, bem como por eventuais informações fornecidas por terceiros, que não expressam a opinião do PagSeguro PagBank. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e as informações podem não estar atualizadas no momento exato da consulta do material. Antes de tomar qualquer decisão, é recomendado que o leitor busque orientação financeira independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto.”