Dicas para quitar suas dívidas e organizar seu orçamento

Resumo do texto

  • Quitar dívidas é possível com controle financeiro;
  • Conheça os principais motivos do endividamento e aprenda a cortar gastos;
  • Descubra como pagar suas dívidas com 7 dicas essenciais.

Baixe grátis o super app PagBank!

 

No Brasil, cerca de 66,5% das famílias estão endividadas, precisando quitar algumas pendências para sair do vermelho. Este número alto tem uma relação forte com a falta de educação financeira e planejamento financeiro.

Se você faz parte deste percentual, saiba que dá para sair dessa. Para isso, basta colocar em prática sete dicas que vão te ajudar a dar adeus às dívidas. Confira!

Entenda a importância de quitar suas dívidas

Quitar dívidas é o primeiro passo para ter saúde financeira. Quando você acaba com elas, surge a oportunidade de economizar mais, investir e controlar melhor o uso da sua renda.

Além desses benefícios, quem não tem dívidas fica com o nome limpo, o que ajuda muito na hora de conseguir um empréstimo, fazer um financiamento para trocar de carro e até alterar o limite do cartão de crédito.

Mas o que dificulta tanto o pagamento?

O primeiro motivo é o desemprego. Segundo o IBGE, mais de 10% da população está desempregada.

Outro fator que contribui para a criação de dívidas é o mau uso do cartão de crédito e o abuso do cheque especial. O motivo é simples: ambos possuem altas taxas de juros, o que facilita o endividamento.

Por último, a falta de educação financeira faz com que cada vez mais famílias acumulem pendências. Com pouco conhecimento sobre planejamento de finanças fica mais fácil cometer erros ao cuidar do dinheiro.

Como saber se estou endividado?

Na maioria dos casos, as empresas acionam um cliente devedor para informar que existem débitos em aberto, mas se você não recebeu esse contato e quer saber se existe alguma dívida em seu nome, verifique se o seu CPF foi negativado no SPC e também na Serasa.

Dica: Aproveite a consulta da Serasa para checar seu score de crédito.

Dívida Caduca: como isso acontece?

O prazo para uma dívida “caducar” é de cinco anos. Isso significa que seu nome estará fora do SPC ou Serasa, mas não significa que o valor não deve ser pago.

Todo o seu histórico financeiro vai para o Registrato do Banco Central e qualquer instituição poderá consultar seu CPF e conferir tudo que não foi pago.

Organize sua vida financeira em 7 passos

Descubra o valor total das dívidas

Antes de pagar as contas em atraso é preciso somar a quantia total. Você precisa compreender sua situação financeira e calcular tudo, inclusive aquela sua conta no fiado na padaria do lado da sua casa.

Outra dica importante: entre em contato com as empresas para saber se o valor foi alterado, qual a taxa de juros por atraso de pagamento, etc.

Negocie o quanto puder

Você vai ficar impressionado com a quantidade de bons negócios que podem ser feitos em uma negociação de dívidas. Não tenha vergonha de fazer isso. Muitas empresas preferem reduzir o valor para receber em menos tempo.

Se não quiser negociar com as empresas aproveite os mutirões do Serasa, SPC e Procon do seu estado. Esses eventos são promovidos para renegociar em massa e podem ser uma boa alternativa para quitá-las.

Priorize as dívidas mais altas

Quem tem mais de uma dívida precisa ordenar os pagamentos. Você pode dar prioridade para elas seguindo uma lógica simples:

  1. comece pelas que têm as taxas de juros mais altas;
  2. passe para as que são sua prioridade (seja por conta do valor ou da importância que ela tem);
  3. termine pagando as dívidas mais leves.

Vamos supor que você deve R$ 150 no cheque especial, R$ 300 da parcela do carro e R$ 200 de uma compra feita em um loja perto da sua casa.

Mesmo sendo uma quantia menor, a prioridade é o cheque especial por conta dos juros, em seguida vem a parcela do carro e por último você acerta sua caderneta de fiado com o dono da loja.

Depois de eliminar as contas ou dívidas com juros altos, basta organizar as restantes por valor, priorizando as maiores. Fica uma dica: antes de pagar, veja quais delas podem ser renegociadas para ficar mais em conta.

Não se comprometa com novas dívidas

Evite novas dívidas e fique alerta. O esforço para manter as contas em dia é muito menor do que o jogo de cintura que você precisa ter para pagar dívidas e dar conta dos gastos mensais.

Corte gastos com inteligência

Diminuir ou eliminar de vez gastos desnecessários é uma das primeiras orientações para quem quer sair da inadimplência.

Mas você sabe o que é importante e o que é dispensável? Para deixar isso bem claro, aplique o método ABCD. Ele faz a classificação dos gastos em grupos, veja como funciona:

Grupo A (alimentação)

Gastos com supermercado, padaria, almoços e jantares a lazer.

Atenção: Cervejas especiais e queijos caros, por exemplo, não se enquadram aqui porque não são gastos básicos de alimentação.

Grupo B (básicos)

São as despesas fixas e constantes, como água, energia, aluguel e gás.

Grupo C (contornáveis)

Despesas que melhoram nossa vida, mas que podem ser cortadas em momentos de emergência. Encaixe neste grupo despesas como assinatura de TV a cabo e o plano da academia.

Grupo D (desnecessários)

São os gastos que precisam sair do seu orçamento o quanto antes porque eles não trazem retorno algum. Alguns exemplos são a taxa da sua conta bancária e a anuidade do cartão.

Esse tipo de despesa a gente pode te dar uma mão. Abrindo sua conta PagBank e usando nossos cartões você dá adeus a essas cobranças.

Crie uma reserva de emergência para imprevistos

Uma reserva de emergência é um dinheiro guardado para momentos de necessidades financeiras, como desemprego, despesas médicas ou algum imprevisto.

Para criar sua reserva é preciso organizar as finanças. Comece analisando seus gastos e veja quanto pode economizar por mês. Pense nessa quantia como uma conta fixa que precisa ser paga assim que você receber.

Fazendo isso, você elimina um hábito que não te ajuda muito, que é poupar só o que sobrou no fim do mês.

Aprenda a criar a sua reserva de emergência aqui. 

Estabeleça metas e objetivos

Agora que você está com suas dívidas quitadas, faça o seu planejamento financeiro com foco nessa nova vida fora do vermelho.

Estabeleça seus objetivos de curto, médio e longo prazo e comece a investir para alcançá-los.

Invista, monte sua reserva e pague suas contas com o PagBank

Quer sair do vermelho? Não deixe de contar conosco. Nós podemos te ajudar com algumas das dicas que você leu por aqui.

Precisa pagar contas atrasadas? Pelo super app você pode pagá-las em até 12 vezes usando o cartão de crédito de qualquer banco.

Na hora de montar sua reserva de emergência, conte com o rendimento da conta PagBank, que já é maior do que o da poupança. Se quiser ainda mais rendimento, aplique nos nossos CDBs. E aqui vai uma dica: aproveite o CDB 200% do CDI para começar.

Ele permite resgate com rendimento 24h após a aplicação, rende mais que o dobro da poupança, tem garantia adicional do FGC e o valor inicial é de R$ 1!

Com o PagBank você tem um banco completo e grátis na palma da sua mão. Aproveite as oportunidades que o super app te oferece e cuide melhor do seu dinheiro na tela do seu celular!

Baixe grátis o super app PagBank!

“Este canal tem como única intenção fornecer um panorama sobre as diferentes categorias de produtos de investimentos disponíveis no mercado. Os conteúdos não têm o objetivo de oferecer análise de valores mobiliários ou recomendações de investimento, considerando que os produtos apresentados podem não ser adequados aos objetivos, situação financeira ou necessidades individuais de cada usuário. O PagSeguro PagBank se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que decorram da utilização de seu conteúdo, bem como por eventuais informações fornecidas por terceiros, que não expressam a opinião do PagSeguro PagBank. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e as informações podem não estar atualizadas no momento exato da consulta do material. Antes de tomar qualquer decisão, é recomendado que o leitor busque orientação financeira independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto.”

  • Tags