Resumo do texto

  • Aprenda de forma prática quais são as diferenças entre a SELIC e o CDI;
  • Entenda de uma vez como funcionam esses indicadores e quais são os impactos que eles têm nas suas aplicações financeiras.

Saiba mais sobre os CDBs PagBank

 

Uma das nossas missões é descomplicar o economês para você, ou seja, traduzir todos aqueles termos técnicos e palavras difíceis que costumam ser usadas em notícias e análises econômicas.

O assunto de hoje é focado em dois indicadores que são usados para calcular o rendimento de aplicações financeiras: a Selic e o CDI.

A Selic é utilizada, por exemplo, para dar base ao rendimento da poupança, enquanto o CDI é o índice usado para calcular a base de rentabilidade de aplicações de renda fixa — como a conta PagBank e os CDBs PagBank, que apresentam rendimentos maiores que a poupança comum.

Abra sua conta PagBank grátis e multiplique seu dinheiro sem precisar fazer nada!

Entender como a Selic e o CDI atuam no mundo dos investimentos é essencial para tomar a melhor decisão sobre onde aplicar seu dinheiro. E para que você acerte em cheio nos seus planos, confira abaixo as principais diferenças entre esses índices.

O que é a Selic?

A Selic é a taxa básica de juros da nossa economia. Isso significa que qualquer produto financeiro não pode apresentar juros abaixo do apontado pelo índice — seja um empréstimo, um financiamento ou uma aplicação.

O nome Selic é, na verdade, uma sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Trata-se de um sistema, sem acesso ao público, em que apenas os bancos entram nessas operações — como a venda de títulos do Tesouro Nacional (o caixa do Governo Federal) entre as instituições financeiras, por exemplo.

Para que você entenda bem, pense da seguinte maneira: os bancos são obrigados por lei a fechar o dia com o caixa positivo. Porém, às vezes, pode ocorrer uma maior quantidade de saques do que o banco estava esperando para um dia, e o caixa fica no negativo. Sendo assim, os bancos que estão com saldo negativo emprestam dinheiro de outros bancos com saldo positivo.

Esses empréstimos são de curtíssimo prazo. Geralmente, eles duram 24 horas e usam como garantia os títulos públicos que um banco tem em sua posse. Os títulos públicos são negociados entre o Governo Federal e os bancos, e servem para que o Governo seja capaz de captar dinheiro para suas operações.

Resumindo: 

  1. O Governo precisa de dinheiro para financiar projetos públicos, e emitem títulos públicos (uma promessa de pagamento através do Tesouro Nacional);
  2. O banco, por sua vez, pode pedir dinheiro emprestado para outro banco, se houver necessidade, e usar esse título público como garantia de pagamento;
  3. Essas transações de empréstimos entre os bancos com garantia de títulos do Governo são utilizadas como base para a Selic. A taxa Selic, portanto, nasce do cálculo da média de juros cobrados nessas transações entre os bancos.

Como a Selic influencia na taxa de juros dos bancos e na inflação?

Como comentamos, a Selic surge dos empréstimos feitos entre os bancos, mas se estende também para o dia a dia dos brasileiros. Quando a taxa Selic está baixa, os juros para operações como empréstimos e financiamentos também cai, o que é positivo para quem precisa de dinheiro emprestado e vai recorrer ao banco para conseguir esse valor.

A queda da taxa Selic impacta também no rendimento de aplicações financeiras. Afinal, se os juros estão caindo, isso também vai ter influência no juros que você recebe com suas aplicações financeiras.

Quando a Selic diminui, o crédito fica mais acessível, porém a inflação também tende a subir. Entretanto, quando a Selic aumenta, os preços das coisas tende a baixar ou ficar estável — como consequência do controle da inflação.

Isto significa que a taxa de juros fica mais alta, impactando tanto os juros que você paga para os bancos quanto os juros que recebe com suas aplicações financeiras.

Como e quando a Selic é calculada?

A cada 45 dias é feita a reunião do COPOM, o Comitê de Política Monetária do Banco Central. Nesses encontros o cenário econômico do Brasil é analisado, e os integrantes do comitê avaliam se é preciso sugerir uma nova taxa mínima de juros, esta taxa é chamada de Selic Meta.

Essa avaliação leva em conta a necessidade de:

  1. Aumentar o consumo dos brasileiros;
  2. Estimular o desenvolvimento interno;
  3. Reduzir a inflação;
  4. Receber influências político-econômicas (internas e externas).

Definida a Selic, automaticamente é definida a taxa básica de juros que os bancos vão usar naqueles empréstimos citados lá no tópico acima. A média ponderada dos juros é a Selic Over.

Quando falamos em cortes na Selic, a referência é a Selic Meta, que é proposta pelo BC, e não a Selic Over.

Qual é o impacto da Selic no rendimento da poupança?

É muito comum você encontrar com pessoas mais velhas que ainda acreditam que a poupança é um grande negócio. Contudo, as diversas baixas da taxa Selic estão fazendo com que, cada vez mais, a poupança seja um investimento pouco vantajoso.

Até 2012, a poupança rendia 0,5% ao mês, somado à taxa referencial (também conhecida como “TR”, que hoje é zero). Com isso, a rentabilidade era de 6,16% ao ano. Após 2012 entraram em jogo as novas regras da poupança, com isso, ela passou a render 70% da Selic enquanto esse indicador estiver abaixo de 8,5% ao ano.

O rendimento da poupança só volta ser calculado como era feito até 2012 se, por um acaso, ela ultrapassar 8,5% ao ano.

Não entendeu? Então, fique atento a este cenário:

  1. Em 2019, o rendimento anual da poupança foi de 4,34% (tendo como base o rendimento de 70% da Selic);
  2. Enquanto isso, a inflação acumulada de 2019 foi de 4,48%;
  3. Isso quer dizer que o dinheiro parado na poupança em 2019 não rendeu nem o suficiente para recuperar o valor da inflação;
  4. Ou seja, em termos econômicos, que seu dinheiro perdeu valor.

Para driblar essa situação e fazer seu dinheiro render de verdade, você pode confiar em investimentos como os CDBs PagBank!

A partir de R$500 você pode iniciar sua reserva de emergência e também garantir rentabilidades de até 150% do CDI. Tudo isso diretamente pelo super app e com toda a segurança do Fundo Garantidor de Crédito!

Quais os históricos da Selic?

A cada novo cálculo, a Selic vai ampliando seu histórico, e ele pode ser consultado por todos nós no site do Banco Central. A Selic começou a ser calculada pelo COPOM em 1996, e todas as taxas aplicadas podem ser vistas aqui.

Analisando o histórico, você vai ver que:

  1. A taxa Selic já atingiu índices bem maiores do que os de hoje;
  2. Existe uma tendência de queda que ocorre há alguns anos.

O que fazer quando a Selic está muito alta ou muito baixa?

Sem rodeios, o importante é guardar as informações abaixo.

Quando a Selic está alta:

  1. Melhor rentabilidade dos investimentos de renda fixa;
  2. Maior inflação no país, o que significa preços mais altos;
  3. Maior taxa de juros para empréstimos e financiamentos obtidos com bancos.

Quando a Selic está em baixa:

  1. Menor rentabilidade dos investimentos de renda fixa;
  2. Inflação controlada e preços mais baixos;
  3. Menor taxa de juros para empréstimos e financiamentos obtidos com bancos.

Então, se você quer buscar rendimentos melhores com suas aplicações financeiras, o ideal é fugir da poupança e buscar alternativas, como o CDB PagBank, que é um investimento de renda fixa e com alta taxa de segurança, e que não se baseia na SELIC para calcular a rentabilidade.

Mas saiba que até mesmo os CDBs, que usam o CDI para calcular sua rentabilidade, sofrem impactos quando a Selic está em alta ou em baixa. Em termos de investimentos, quem quer fugir totalmente da Selic precisa apostar em outros produtos.

O que é CDI?

CDI é a sigla para Certificados de Depósitos Interbancários. Esses certificados também são títulos que os bancos usam para fazer as empréstimos entre si, para não fechar o caixa no vermelho, mas sem a garantia de títulos públicos. Esta outra modalidade de empréstimos entre os bancos geram a taxa DI, que é a média de juros cobrados pelos bancos nessas transações.

A taxa DI é calculada todos os dias pela Cetip (Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos Privados) e divulgada no site da B3, que opera a Bolsa de Valores de São Paulo. Para conferir aquilo que os especialistas chamam de CDI Hoje, basta verificar o índice apresentado pela B3. Já o CDI mensal é a média das taxas diárias de um determinado mês.

É possível investir no CDI?

Não! CDI não é uma espécie de título comercializável somente entre os bancos. Sendo assim, ninguém aplica em CDI, mas sim em produtos que usam o CDI como base, como é o caso do CDB PagBank, que oferece até 150% de rentabilidade do CDI, o que representa um rendimento 68% melhor do que a poupança comum.

Qual é a diferença entre CDI e Selic?

Dadas as informações acima, já fica bem claro que Selic e CDI tem relação próxima, apesar de serem diferentes. O CDI serve como referencial de rentabilidade das aplicações de renda fixa, como CDB e LCI, por exemplo. Enquanto isso, a Selic, além de definir a  rentabilidade da poupança, ela determina a taxa básica de juros nacional — que, por sua vez, recebe influência das transações feitas entre banco, que são os CDIs.

Como calcular o rendimento através do CDI?

Até agora você viu como o CDI é calculado e tudo mais. Porém, o que realmente significa uma aplicação que rende de acordo com o CDI?

Usando a calculadora do Banco Central você consegue inserir a data de início, data final, o valor aplicado e a porcentagem sobre o CDI.

Digamos que você invista R$2 mil em um CDB do PagBank com rentabilidade de 150% do CDI com carência de 365 dias (o prazo que você deverá deixar o dinheiro parado), por exemplo. Agora vamos utilizar os índices do último ano (20/08/2019 a 20/08/2020):

  1. O CDI acumulado no período foi de aproximadamente 6%;
  2. Fazendo uma regra de três simples, você tem um rendimento bruto de R$2.121,52;
  3. Descontando o Imposto de Renda — nesse caso, 17,5% (confira a tabela de tributação aqui) — você terá um rendimento de R$100,26!

Ainda no mesmo cenário, se você tivesse investido na poupança, você teria uma rentabilidade de R$58,56, uma diferença de quase de 71%!

Agora ficou mais claro a relação, não é? Se o CDI cair, a rentabilidade cai também, se subir, o rendimento também sobe.

Aplique com segurança

Tanto a Selic quanto o CDI são importantes indicadores para a nossa economia e para as aplicações que fazemos. Até a conta PagBank tem relação com o CDI, uma porcentagem dessa taxa todos os dias.

Então se você quer começar a se aventurar no universo das aplicações e pretende começar com segurança, uma rentabilidade legal e praticidade, que tal baixar o super app PagBank agora mesmo?

O super app PagBank é a sua agência e conta dentro do seu celular. Através dele você administra a sua conta rendeira, confere as rentabilidades do dia a dia e ainda consegue fazer aplicações em um CDB a partir de R$500 com apenas alguns toques na tela.

Conte com um banco completo e grátis na palma da sua mão. Aqui no PagBank é tudo digital, sem taxas surpresas e nem letras miúdas! Você ainda ganha um cartão internacional sem anuidade, TEDs ilimitadas e gratuitas e muito mais.

Baixe grátis o super app PagBank!